Serviços Farmacêuticos nos Cuidados de Saúde Primários respondem a especificidades do Serviço Regional de Saúde dos Açores

A Ordem dos Farmacêuticos (OF) e a Direção Regional de Saúde dos Açores estão a trabalhar numa proposta para criação de Serviços Farmacêuticos nos Cuidados de Saúde Primários, com integração de farmacêuticos, de acordo com as características de cada Unidade de Saúde de Ilha do Serviço Regional de Saúde (SRS) e coordenação centralizada por farmacêuticos especialistas em Farmácia Hospitalar, tal como está previsto na legislação. A medida permite uniformizar procedimentos e a gestão do circuito do medicamento em toda a Região Autónoma.

Ao longo das últimas semanas, a OF e a Secretaria Regional da Saúde desenvolveram contactos para apresentar uma solução que assegure assistência e cobertura farmacêutica nas nove ilhas do arquipélago, ao nível dos cuidados de saúde primários e dos cuidados continuados integrados, onde as carências de cuidados farmacêuticos são mais evidentes, deixando sem assistência, na área do medicamento, a grande maioria dos profissionais de saúde que aí trabalham, bem como os utentes que utilizam estes serviços.

Segundo uma nota enviada à nossa redação, a OF considera que as ruturas e carências pontuais de alguns medicamentos nas unidades de saúde do SRS, para os quais existem, na maioria das vezes, alternativas terapêuticas, seriam drasticamente minimizadas com uma reorganização de todo o circuito do medicamento, tal como preconizado na referida proposta.

Até à data, as Unidades de Saúde de Ilha do Corvo, Faial, Graciosa, Pico, Santa Maria e Terceira e, até há bem pouco tempo, também a de S. Miguel, continuavam sem a presença de qualquer colaborador farmacêutico nos seus quadros, estando a gestão do medicamento a cargo de outros profissionais não qualificados para o efeito.

O circuito do medicamento no SRS tem especificidades que o diferenciam da realidade do continente, essencialmente pela vocação de internamento, de doentes agudos e crónicos, na maioria das Unidades de Saúde de Ilha e Centros de Saúde. Estas unidades de saúde estão dotadas de infraestruturas e serviços em que é utilizado um vasto arsenal terapêutico, muito semelhante ao hospitalar, de uso restrito, com especificações estritas e risco elevado.

No panorama atual, existe também uma grande dispersão de locais onde são armazenados os medicamentos administrados aos doentes assistidos nestas unidades e continuam a verificar-se importantes lacunas nos processos de registo e rastreabilidade destes fármacos, colocando em causa a sua utilização segura e conduzido, muitas vezes, a relevantes desperdícios.

Os escassos exemplos de cobertura farmacêutica nos centros de saúde dos Açores já mostraram a relevância da intervenção do farmacêutico na gestão do circuito do medicamento e dos dispositivos médicos, através da melhoria exponencial dos índices relacionados com a segurança, eficácia, rastreabilidade, económicos e logísticos.

A implementação estruturada de Serviços Farmacêuticos ao nível dos cuidados de saúde primários, dirigidos por farmacêuticos especialistas em Farmácia Hospitalar, tal com é exigido legalmente, e com um quadro de profissionais experiente, potenciaria ganhos de eficiência muito elevados, tanto ao nível de cuidados, como ao nível da despesa total com medicamentos do SRS.

A OF continuará a colaborar com a Direção Regional de Saúde na avaliação das necessidades de cobertura farmacêutica nas Unidades de Saúde de Ilha, bem como das infraestruturas de apoio ao circuito do medicamento nestas unidades.

A recente criação da Carreira Farmacêutica, nos Serviços Nacional e Regionais de Saúde, contribuirá também para a garantia da contratação de novos profissionais farmacêuticos, com qualificações e competências adequadas, essenciais para uma reforma do circuito do medicamento nestas unidades, e cujo objetivo último será a garantia da segurança, qualidade e eficácia dos medicamentos e dispositivos médicos utilizados pelos serviços públicos de saúde da Região Autónoma dos Açores.

DL/OF

Categorias: Saude

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*