(bio)Ética, Ciência e Sociedade: Desafios para a BioPolítica

O Laboratório Regional de Engenharia Civil (LREC) recebe no próximo dia 24 de novembro, o Colóquio Internacional (bio)Ethics, Science, and Society: Challenges for BioPolitics (Ética, Ciência e Sociedade: Desafios da BioPolítica), sendo aberto ao público em geral.

Este Simpósio inclui conferências e debates sobre os temas centrais do Simpósio: (Ciência) “Tendências actuais no desenvolvimento das biotecnologias e seus impactos sociais”, por Janusz Bujnicki, biólogo, líder do grupo de investigação no Instituto Internacional de Biologia Molecular e Celular, em Varsóvia, e membro do Grupo de Alto Nível de Conselheiros Científicos da Comissão Europeia; (Sociedade) “Como as biotecnologias estão a moldar as sociedades”, por Hallam Stevens, historiador e investigador no domínio de intersecção entre as ciências biológicas e as tecnologias da informação, na Universidade Tecnológica de Nanyang, em Singapura; (Ética) “O impacto da (bio)ética nas políticas públicas”, por Gören Hermeren, ex-Presidente do Grupo Europeu de Ética em Ciências e Novas Tecnologias, e membro do Grupo para a Ciência e a Ética das Academias de Ciências da Europa. Ainda da parte da manhã seguir-se-á uma intervenção por Helena Nazaré, ex-Reitora da Universidade de Aveiro e Presidente da Associação Europeia de Universidades, que estabelecerá a relação entre Ciência, Sociedade e Ética, no contexto dos projectos educativos no mundo global.

A parte da manhã será, pois, dedicada à reflexão sobre o modo como o progresso das Ciências e das Tecnologias modelam o desenvolvimento das Sociedades e de que forma a Ética contribui para promover a dignidade humana e a justiça social deste processo, que competirá à Política implementar.

A parte da tarde começará por revisitar a noção de BioPolítica, o seu conceito, história passada, realidade presente e futuros desenvolvimentos, através de intervenções de Albert Somit, Professor Emérito e Presidente Emérito da Southern Illinois University, e de Agni Arvanitis, fundadora e Presidente da Organização Internacional de Biopolítica – ambos pioneiros da construção e divulgação deste domínio de estudos.

Seguir-se-á a realização de três workshops ou oficinas, simultâneos e em língua portuguesa, sobre alguns dos mais importantes domínios em que se desenvolve a biopolítica: “Saúde Pública”, por Jorge Simões, Presidente do Conselho Nacional de Saúde e coordenador do HiT de Portugal, do Observatório Europeu dos Sistemas e Políticas de Saúde; “Guerra biológica: desafios à Segurança Internacional”, por Nuno Rogeiro, comentador político, especialista em defesa e segurança; “Alterações Climáticas”, por Viriato Soromenho-Marques, membro do Conselho Nacional do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

Revela uma nota enviada à nossa redação que, “o objetivo geral deste encontro é promover a divulgação científica, e assim também uma cultura científica nos Açores, bem como a responsabilização sociopolítica sobretudos entre os que desempenham funções institucionais no domínio da gestão político-financeira no domínio da ciência e educação. Espera-se assim aprofundar o impacto da reflexão bioética na elaboração de políticas públicas, nacionais e internacionais, relativas à gestão dos novos poderes decorrentes dos progressos biotecnológicos, o que corresponde, afinal, à acção participativa dos cidadãos esclarecidos no presente e futuro da sua comunidade. Simultaneamente, proceder-se-á à identificação e caracterização dos principais temas da biopolítica, promovendo-se a construção de consensos que se possam vir a traduzir em recomendações legislativas. O objectivo final deste projecto, que se desenrolará ao longo do ano de 2018, é elaborar uma Declaração de BioPolítca”.

Este evento conta com o Alto Patrocínio da Presidência da República, sendo patrocinado pela Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, o Laboratório de Engenharia Civil e o Grupo Bensaúde. Associaram-se também ao projecto, na sua Comissão de Honra, a Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação Champalimaud, Fundação Francisco Manuel dos Santos, a Academia das Ciências, o Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas e o Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida.

DL/UAc

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*