Carta ao pai, poeta e amigo

Pai, aquele dia 23 de outubro, foi o pior dia das nossas vidas, receber a notícia da sua repentina partida deste mundo, foi como cravarem um punhal em nossos corações arrancando um pedaço e causando dor imensa para sempre. Foram seis meses de luta depois do diagnostico e começo dos tratamentos, foi um guerreiro, um lutador sem medo do desfecho. Estava já preparado para partir para a Gloria de Deus, o pai sabia que seria antes do Natal.

Com lágrimas nos olhos e corações destroçados, suas três filhas apanharam o primeiro avião em direção a si, para lhe dar um beijo de despedida no seu rosto gelado e já sem vida, beijo esse que já nao teve retorno.

As duvidas continuam, as perguntas se mantêm….Porquê? Porque foi tudo tão rapido, porque tiveste que partir pai?

Uma certeza fica, não ficou nada por dizer porque numa vida inteira sempre tivemos um Pai, um grande amigo, um conselheiro que aconselhava suas filhas sempre que precisavam, falava connosco e ouvia-nos e dava a cada uma de nós palavras de conforto e amor, sempre foi um verdadeiro pai capaz de expressar seus sentimentos e sempre que podia nos dizia “Amo-te filha” ficavamos consoladas com esse amor, as nossas brincadeiras, a nossa cumplicidade, tinhamos consigo uma relação saudavel de pai e filhas, que poucas pessoas na vida têm, porque não são todos os pais que são com os filhos o que o pai era com as suas filhas, acima de tudo era o nosso amigo…o nosso pai, que sempre foi um orgulho para nós, desde que se tornou Pastor na sua igreja, desde que se tornou poeta na sua freguesia e desde a nossa existencia foi sempre o nosso querido e melhor pai, foste és e serás sempre o nosso orgulho.

Agora ficam as memórias, são tantas e tambem as recordações todas que temos suas, os objetos pessoais, os livros que escreveu e publicou, suas mensagens escritas que guardamos, a quadra que escreveu para nós, recordacões e memórias lindas.

Será sempre lembrado e amado, isso nao é um Adeus mas sim um Até já pai, com infinito amor e saudade … suas filhas, Natália, Dina e Odete.

Categorias: Necrologia

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*