Investimento nas áreas dos transportes e obras públicas ultrapassa 151 ME em 2018

A Governo dos Açores vai investir mais de 151 milhões de euros em 2018 nas áreas dos transportes, obras públicas, infraestruturas tecnológicas e comunicações, revelou a Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas.

Ana Cunha, em declarações aos jornalistas após ser ouvida nas comissões de Economia e de Política Geral da Assembleia Legislativa, frisou que este montante será repartido, “essencialmente, pelas áreas dos transportes, com cerca de 86 milhões de euros, e das obras públicas, comunicações e infraestruturas tecnológicas, com cerca de 56 milhões de euros”, cumprindo os compromissos assumidos pelo Governo dos Açores.

A Secretária Regional salientou que o objetivo é “manter, desenvolver e tirar o maior potencial do sistema de transportes já instalado, quer aéreos, quer marítimos e terrestres”, sendo que o grande desafio, na parte dos transportes aéreos “será aproximar a oferta à procura ao nível do interilhas, dado alguns constrangimentos que foram assumidos”.

Ao nível dos transportes marítimos, Ana Cunha lembrou que o Conselho do Governo aprovou em outubro o lançamento do concurso para a conceção e construção de um navio de transporte de passageiros e viaturas, “para desenvolver a política do Governo, na área dos transportes marítimos, nas ligações interilhas”.

Segundo afirmou, se este processo concursal “seguir a cronologia normal, prevê-se que em 2020 possa já estar operacional”, acrescentando, no entanto, que, “como em todo e qualquer processo concursal, poderão existir algumas vicissitudes, que são normais neste tipo de procedimento, mas o objetivo do Governo é ter o navio operacional em 2020”.

Relativamente à área das obras públicas, para além do contínuo trabalho ao nível dos circuitos logísticos terrestres em toda a Região, que “são fundamentais para assegurar a mobilidade dentro de cada ilha”, Ana Cunha destacou “a aposta que se faz na requalificação de alguns espaços públicos e nas zonas adjacentes às estradas regionais, tendo em conta a necessidade de algumas intervenções em miradouros emblemáticos, como as Sete Cidades e a Lagoa do Fogo, em São Miguel, e outros em todas as ilhas”.

A Secretária Regional recordou que a afluência a esses pontos de interesse “tem sido superior àquilo que era normal nos anos transatos, o que é bom, mas temos de nos adaptar”.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*