“Governo dos Açores investe anualmente 1,3 ME em sanidade animal”

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas, revelou esta sexta-feira, dia 3 de novembro, em Ponta Delgada, que os Açores investem anualmente 1,3 milhões de euros em sanidade animal, salientando que os “bons resultados obtidos” devem constituir motivo de orgulho e estímulo para o futuro.

“A Região possui, presentemente, um elevado estatuto sanitário, reconhecido a nível nacional e internacional. Este reconhecimento é uma enorme mais-valia, mas, simultaneamente, uma grande responsabilidade”, afirmou João Ponte, na sessão de abertura das XIX Jornadas Nacionais de Buiatria.

Segundo o executivo regional, na sua intervenção, salientou que os bons resultados nos Açores são fruto da excelência dos profissionais de Medicina Veterinária, das políticas públicas e do permanente investimento, devendo constituir “um motivo de orgulho e estímulo futuro para uma região ultraperiférica como os Açores, com um universo de cerca de 260 mil animais e que, anualmente, investe na sanidade cerca de 1,3 milhões de euros”.

João Ponte destacou o facto de o Laboratório Regional de Veterinária, cuja construção custou mais de 15 milhões de euros, ter recebido no último ano mais de 430 mil amostras, sobre as quais foram realizadas cerca de 1,2 milhões de determinações, das quais 72% foram ensaios acreditados.

Além do conjunto de serviços prestados no âmbito da saúde pública, da sanidade animal e na área alimentar, João Ponte anunciou que o Laboratório Regional de Veterinária passará a contemplar diagnósticos na área da biologia molecular, genética, gestação e reprodução.

O Secretário Regional considerou ainda que a existência de serviços veterinários oficiais bem preparados e credíveis deve ser “um imperativo político de qualquer governação” e que a aposta prioritária deve ser sempre na prevenção, na deteção precoce dos focos de doença e, no limite, numa rápida resposta dos sistemas de vigilância veterinária.

“Uma crise sanitária de origem animal, quando ocorre, acarreta um custo muito elevado ao nível social, económico e ambiental”, frisou João Ponte.

Esta é a primeira vez que os Açores acolhem este evento organizado pela Associação Portuguesa de Buiatria, que, segundo o Secretário Regional, dará “um contributo muito relevante” para o aumento do conhecimento e para a formação de todos os participantes.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*