Avelino Meneses afirma que combate ao insucesso escolar é um “longo caminho”

O Secretário Regional da Educação e Cultura afirmou, em Vila Franca do Campo, que, ao nível do combate ao insucesso escolar, apesar de os Açores já terem atingido metas que estavam estabelecidas para 2020-2021, há ainda “um longo e sinuoso caminho” a percorrer até à construção de uma “escola do sucesso total”.

Avelino Meneses falava na apresentação do projeto ‘Sucesso Educativo – Escola, Comunidade, Família’, uma iniciativa de intervenção de base comunitária a desenvolver no concelho de Vila Franca do Campo, numa parceria entre as secretarias regionais da Solidariedade Social e da Educação e Cultura e o Município.

Na sua intervenção, o Secretário Regional defendeu que a escola deve ter a capacidade de convocar “tudo e todos para a tarefa tão difícil quanto estimulante de promoção do êxito académico e profissional das novas gerações”.

Para o titular da pasta da Educação, o combate ao insucesso e a promoção do sucesso escolar também se “estimulam fora dos muros da escola”, no seio das famílias e de cada umas das comunidades, mas também “dentro das instituições políticas e sociais”.

Nesse sentido, apontou a necessidade de desenvolver, em prol da educação, “um trabalho de equipa”, o qual implica “a audição na escola de alunos, professores, técnicos e dirigentes e, fora dela, de pais e encarregados de educação e associações”, nomeadamente as autarquias.

Avelino Meneses salientou que, após ter sido desenvolvido nos últimos dois anos letivos no concelho da Lagoa, no âmbito do ProSucesso – Açores pela Educação, sob a direção científica do Instituto Superior de Psicologia Aplicada, o projeto de intervenção comunitária ‘Sucesso Educativo – Escola, Comunidade, Família’ estende-se agora a Vila Franca do Campo, acrescentando que, no futuro, seguir-se-ão “outras escolas e concelhos”.

Este projeto visa, entre outros aspetos, promover “as expetativas de todos em matéria de melhor desempenho social, no presente, e de melhor empregabilidade, no futuro”, mas também a melhoria dos resultados escolares, já que a aprendizagem é “a melhor estratégia de combate à pobreza e às desigualdades”.

A Secretária Regional da Solidariedade Social, também presente no evento, frisou a capacidade do Governo dos Açores de “visualizar” e ir ao encontro das “necessidades das nossas crianças”.

“Projetos como o que agora apresentamos não são, nem podem ser caraterizados como uma espécie de ‘salva-vidas’ do insucesso escolar porque nos incomodam as estatísticas, nem essa perspetiva nos pode ser atribuída”, afirmou Andreia Cardoso.

Para a governante, o projeto agora apresentado deixa “bastante claro” o cuidado do Governo dos Açores em não encarar as crianças “apenas como o nosso futuro, mas torná-las, desde logo, parte do nosso presente”.

DL/Gacs

Categorias: Educação

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*