PSD/Açores propõe recuperação do tempo de serviço para os docentes lesados na carreira

O grupo parlamentar do PSD/Açores vai apresentar uma proposta de alteração ao Decreto Legislativo Regional (DLR) que define o Estatuto da Carreira de Pessoal Docente para eliminar a discriminação das carreiras com duração superior a 34 anos.

Maria João Carreiro, deputada e porta-voz do PSD/Açores para a Educação, explica que em causa está a penalização em três anos de trabalho que os docentes irão sofrer ao serem reposicionados na carreira, ao abrigo da legislação em vigor, face aos docentes que ingressam ou que ingressarão.

Maria João Carreiro, que falava hoje após uma reunião com a direção do Sindicato Democrático dos Professores dos Açores, em Ponta Delgada, frisou que a resolução desta discriminação “é uma questão de princípio para o PSD/Açores”, reiterando que “nenhum docente deverá atingir o topo de carreira com mais de 34 anos de serviço”.

“Se queremos valorizar e dignificar a classe docente, é necessário criar mecanismos que eliminem qualquer tipo de discriminação”, salientou, explicando que a proposta do PSD/Açores, a apresentar em sede de debate do Plano e Orçamento para 2018, “visa a criação de um mecanismo de reconhecimento destes três anos de trabalho, prestado antes de 31 de dezembro de 2010, para efeitos de progressão na carreira”.

“A criação deste mecanismo é premente”, reforça Maria João Carreiro, salientando que “a estimativa é de que 3700 docentes estarão a ser penalizados e que, por isso, reclamam dos órgãos do governo próprio da Região a reposição gradual do justo reconhecimento de três anos ao serviço do Ensino da Região”.

DL/PSD

Categorias: Educação, Política

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*