Vereadores do PSD acusam maioria socialista na Câmara de despesista e pouco ética

No âmbito da primeira reunião do novo elenco do executivo da Câmara Municipal de Lagoa, os vereadores do PSD, Carlos Augusto Furtado e Roberto Oliveira, votaram contra a nova composição de vereadores a tempo inteiro e parcial, proposta pelo Partido Socialista.

Segundo refere uma nota de imprensa enviada à nossa redação, no entender dos dois vereadores do PSD, é exagerada a proposta que foi apresentada em reunião de câmara, que prevê um aumento, para o dobro, dos vereadores em regime de tempo inteiro.

Os vereadores do PSD lembram que “no mandato anterior, apenas existiam a tempo inteiro a Presidente de Câmara, uma vereadora e mais um vereador a meio tempo. Desta forma, sendo que foi agora aprovado na reunião de 25 de outubro, apenas com os votos do Partido Socialista, o regime de permanência para mais dois vereadores a tempo inteiro, passarão a existir quatro vereadores a tempo inteiro e um vereador a meio tempo”.

Para os dois vereadores do PSD Lagoa, este aumento só “vem acrescentar ao Município um custo anual próximo de cem mil euros, valor que, segundo comparações efectuadas, seria suficiente para manter contratos de prestações de serviço anualmente a dez pessoas, numa altura em que se verifica ainda um enorme desemprego no Concelho”.

Refere ainda a mesma nota que, para os eleitos do PSD, “esta nova maioria do PS não está a começar da melhor forma, ao mostrar práticas de despesismo e de pouca ética, acrescentando mais custos de governação ao concelho, em vez de canalizar estes recursos para proporcionar mais empregabilidade às famílias lagoenses”.

DL/PSD Lagoa

Categorias: Local, Política

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*