Componente Naval treina nos Açores operação de evacuação de cidadãos em cenário de crise

A componente naval da Força de Reação Imediata (FRI), constituída pelo reabastecedor NRP Bérrio como navio-chefe, pela fragata NRP Corte-Real, uma força de fuzileiros e equipas de mergulhadores com valências de inativação de engenhos explosivos e de busca e salvamento, começa amanhã nos Açores a participação no exercício conjunto Lusitano 17, onde se irá juntar a estes meios, o navio patrulha oceânico NRP Figueira da Foz.

O Lusitano é um exercício que envolve a Marinha, o Exército e a Força Aérea e ocorre sob a égide do Estado-Maior-General das Forças Armadas, estando inserido num cenário de proteção e evacuação de cidadãos nacionais em áreas de tensão ou crise. 

A Componente Naval, comandada pelo capitão-de-mar-e-guerra Diogo Arroteia, é parte integrante da Força de Reação Imediata das Forças Armadas Portuguesas, simula que está a ser projetada para um cenário de instabilidade social e política, tendo como principal missão garantir a evacuação em segurança de cidadãos nacionais. No exercício, a decorrer na ilha Terceira, a força terá que reagir a diversos incidentes, designadamente atos de terrorismo e, em caso de necessidade, apoio à emergência civil de populações vitimas de catástrofe.

DL/Marinha

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*