Avelino Meneses destaca esforço do Governo dos Açores nas áreas da educação especial e do apoio educativo

O Secretário Regional da Educação e Cultura assegurou esta segunda-feira, dia 23 de outubro, em Ponta Delgada, que o Governo dos Açores está apostado em garantir a “quantidade” e a “qualidade” dos recursos humanos nas áreas da educação especial e no apoio educativo.

“A convicção de que a educação especial e o apoio educativo carecem de recursos humanos, em devida quantidade e com reconhecida qualidade, move o Governo dos Açores à contratação e ao reforço dos docentes e não docentes que garantam o conveniente funcionamento das unidades orgânicas”, afirmou Avelino Meneses.

O titular da pasta da Educação, que falava na assinatura de uma adenda ao protocolo entre a Fundação PT, a Secretaria Regional da Educação e Cultura e o Grupo de Amigos da Pediatria do Hospital do Divino Espírito Santo para o alargamento da solução informática de ‘tele aula’, destacou o esforço do Governo para que, na escola pública nos Açores, todas as crianças e jovens, independentemente “da origem, condição e caraterísticas”, possam “aprender juntos e com qualidade”.

O Governo Regional, frisou Avelino Meneses, “não enjeita esforços na adequação do processo educativo aos requisitos daqueles que evidenciam deficiências ou necessidades educativas especiais”, agindo para tal “na adaptação dos currículos, na organização escolar e na reinvenção de estratégia pedagógicas”.

Segundo o executivo regional, com este projeto de ‘tele aula’, lançado nos Açores em março, permite-se a interação de alunos, em regime domiciliário ou hospitalizados, com as turmas em que se encontram inseridos nas respetivas escolas.

“Já não se trata de trazer os portadores de qualquer deficiência, de qualquer doença, para a escola, trata-se de levar a escola àqueles que não podem vir à escola, quer estejam num hospital ou no próprio domicílio”, salientou Avelino Meneses.

O Secretário Regional agradeceu à Fundação PT e ao Grupo de Amigos da Pediatria do Hospital do Divino Espírito Santo pelo facto de, através deste projeto, ajudarem na “obtenção do propósito de que ninguém fique para trás”, em particular aqueles que “mais necessitam de tudo, de saúde e de educação”.

O projeto “tele aula” visa reintegração social e académica de jovens em idade escolar que, por força das suas condições de saúde se encontram impedidos de frequentar as aulas.

Com a instalação de um equipamento específico na sala de aula, o aluno consegue frequentar as aulas, a partir da unidade hospitalar onde se encontra internado ou da sua residência, através de um computador com ligação à Internet.

Atualmente beneficiam deste programa nos Açores cinco alunos das EBI de Rabo de Peixe e das Capelas, e das secundárias da Povoação e de Vila Franca do Campo, na ilha de S. Miguel.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*