Partidos eleitos prometem colaboração em prol do concelho de Lagoa

Apostar na educação, captar riqueza para o concelho , concretizar um conjunto de investimentos na orla costeira, no setor económico e turístico e modernizar a Lagoa, elevando a mesma a uma smart city, são algumas das prioridades da autarca, Cristina Calisto, para os próximos quatro anos de mandato.

Na passada sexta-feira, dia 20 de outubro, os Paços do Concelho, acolheu a tomada de posse dos elementos da Assembleia Municipal de Lagoa e do seu executivo camarário, eleito no passado dia 1 de outubro, nas Eleições Autárquicas.

De relembrar, que o PS obteve, nas últimas eleições autárquicas, a maioria absoluta com 70,17% dos votos, contra 23,67% do PSD e o PCP-PEV obteve 2,48%, assim sendo, o PS elegeu para a Câmara Municipal cinco mandatos, contra dois do PSD.

Para a Assembleia Municipal, o PS obteve 65,39 % dos votos, contra 26,60% do PSD e o PCP-PEV obteve 3,53%, sendo que o PS elegeu 15 mandatos e o PSD 6.

Durante a cerimónia de tomada de posse, Cristina Calisto, salientou ter sido eleita de forma consciente, expressiva e inequívoca pelos lagoenses e que irá exercer as suas funções políticas com nobreza, dedicação e espírito democrático.

“Serei a presidente de todos os lagoenses, sem exceção”, adiantou a autarca, acrescentando que conta com a colaboração dos vereadores do partido da oposição, nomeadamente, Carlos Augusto Furtado e Roberto Oliveira, eleitos pelo Partido Social Democrata (PSD), por forma a, em conjunto, contribuírem para o enriquecimento das propostas de trabalho do novo executivo e enfrentarem os desafios futuros.

Cristina Calisto recordou que no mandato anterior, foi realizado um trabalho de equipa, com transparência e verdade, esperando continuar nesse rumo, defendendo que, “o papel reservado à oposição não deverá ser, somente e apenas, o de se opor”.

“Nos últimos quatro anos, fomos verdadeiramente uma equipa, não era possível distinguir quem era de um partido e quem era do outro, trabalhamos em equipa. Penso que 99,9%, quando digo isso, é porque só me recordo mesmo, de uma proposta da oposição que a nossa vereação socialista não votou a favor. Todas as outras medidas propostas pela vereação do PSD foram todas acolhidas por nós”, adiantou a presidente da Câmara Municipal de Lagoa, afirmando que, se assim foi no último mandato, essa será a sua disponibilidade para o presente. Efetivamente, a edil aposta em quatro anos de diálogo, por forma a conseguirem trabalhar, em conjunto, para defenderem e concretizarem o projeto político eleito pela população.

Por outro lado, a primeira mulher eleita presidente da Câmara Municipal de Lagoa e única da Região Autónoma dos Açores, defendeu o trabalho da sua equipa, que agirá com “competência, seriedade, dedicação e envolvimento social”, em prol de uma Lagoa melhor, numa era nova, que se adivinha competitiva e desafiadora.

Estes próximos anos serão sinónimos de mudança, principalmente no que diz respeito à modernização administrativa, sendo que, a candidatura que foi submetida aos Fundos Comunitários foi aprovada, tornando-se visível, futuramente, a adoção de novas ferramentas de trabalho por parte do município e novos serviços prestados.

É com grande orgulho que Cristina Calisto, defende a Lagoa, afirmando ser uma cidade que oferece qualidade de vida, satisfação e que é apetecível a pessoas oriundas de outros concelhos, acreditando numa Lagoa com um caminho futuro, de desenvolvimento, mas sem nunca esquecer as suas raízes, tradições e história.

Por seu turno, o vereador do PSD, Carlos Augusto Furtado, afirma que tudo fará para defender o projeto posto a votação pelos lagoenses, que não colheu a votação necessária para se pôr em prática mas que, dentro do possível, irá defender as propostas ao eleitorado.

“Durante este tempo, teremos, de forma adulta, que colaborar com o poder, com a lista que ganhou as eleições e dentro disso, estou em crer, que o objetivo, de qualquer uma das listas que concorreu nestas eleições, concorreram com o mesmo objetivo: prestar um bom serviço aos lagoenses”, salientou o vereador ao Jornal Diário da Lagoa, acrescentando que apesar das visões diferentes, os lagoenses podem contar com a sua colaboração.

Para o presidente da Assembleia Municipal de Lagoa, José Dias Pereira, foi um privilégio abraçar o desafio lançado pelo Partido Socialista, defendendo que a luta não deve ser entre partidos de esquerda e de direita, mas sim, de levar aos lagoenses, o melhor, no sentido dos mesmos, terem uma promoção da qualidade de vida e do bem estar.

“Para mim, o que me guia aqui e tudo farei para que o fio de prumo ou a rota traçada por esta caravela, a sair agora do Porto dos Carneiros, seja efetivamente e tenha só, única e exclusivamente, uma intenção: melhorar a promoção de vida dos lagoenses e o seu bem estar”, explicou José Dias Pereira, após a Sessão Ordinária da Assembleia Municipal que elegeu a Mesa deste órgão autárquico, sendo que por voto secreto, José Dias Pereira foi eleito presidente da Mesa, com 19 votos a favor e 6 em branco.

Por outro lado, o presidente da Assembleia Municipal de Lagoa, relembrou que as sessões são públicas, apelando, desse modo, a que todos os lagoenses, que puderem assistir, que o façam, principalmente por acreditar que o projeto é comum, tem um único destino e que são os lagoenses, que melhor do que ninguém, conhecem as necessidades e sentem os problemas que o concelho de Lagoa tem.

DL/AS

Categorias: Autarquicas, Local, Política

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*