Bolieiro defende relação entre a Universidade e a Indústria do leite para atingir “um produto distintivo e competitivo no plano nacional e mundial”

O Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, José Manuel Bolieiro, esta quinta-feira, dia 19 de outubro, na Sede da Cooperativa do Bom-Pastor, durante a sessão de abertura do evento “Iodo e Selénio no Leite: Ambiente e Saúde”, felicitou a iniciativa e exortou para “que este seja apenas um primeiro passo, para, no futuro, desenvolvermos essa relação frutuosa entre a produção, o conhecimento e a investigação”.

“Como dirigente político e consumidor tenho muita esperança que daqui resulte uma outra e nova aportação para o nosso futuro na agricultura, na investigação, na saúde, na habilitação ambiental e até mesmo na valorização dos Açores enquanto destino turístico, por via da segurança alimentar”, afirmou José Manuel Bolieiro.

Segundo uma nota enviada à nossa redação, o Presidente do Município com a maior bacia leiteira dos Açores, referiu “importância de nos distinguirmos pela excelência, com inovação” e adiantou que desta forma podemos ter “um produto distintivo e competitivo no plano nacional e mundial”.

José Manuel Bolieiro, durante a sua intervenção, apontou os “dois desafios que importa vencer: o primeiro relativamente à competitividade e à concorrência dos produtores de leite mundiais e europeus, em particular, com o fim das quotas, mas também é preciso vencer o desafio de tentativa de desvalorização do leite enquanto elemento de consumo para a saúde pública e valorizar a sua qualidade. Para isso nada melhor que juntar esta relação entre a Universidade, a investigação e a produção e transformação”, reforçou o Autarca.

“Tenho grande esperança que a Faculdade de Ciência e Tecnologia, agora organicamente mais evidenciada no contexto da organização Universidade dos Açores, seja uma revelação no futuro do nosso conhecimento e da nossa economia nos Açores”, salientou o Presidente do Município.

José Manuel Bolieiro felicitou, ainda, esta iniciativa, que conjuga o saber à industria, como uma consequência positiva/fruto “de uma primeira abordagem, feita numa celebração do dia mundial do Leite, no Salão Nobre da Câmara Municipal”, onde deixou-se a mensagem que “o sector primário não pode ser encarado como algo ultrapassado face a um futuro de outras exigências qualitativas. Tem, pelo contrário, é de ser aproveitado seja na área económica, de investigação, de preservação ambiental do nosso território e/ou de preservação e promoção da saúde alimentar”.

DL/CMPD

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*