Autárquicas 2017: Eleitos da Freguesia da Ribeira Chã tomaram posse

Tomaram posse, este domingo, dia 15 de outubro, os eleitos da freguesia da Ribeira Chã, em resultado do ato eleitoral realizado no passado dia 01 de outubro.

No decorrer da Assembleia de Freguesia marcada para o efeito, depois da verificação legal dos eleitos, a Presidente da Mesa cessante deu posse aos novos eleitos.

Tomaram posse Vitória Couto (PS), Paula Ferraz (PS), José Pacheco (PSD), Marco Soares (PS), Catarina Ambrósio (PS), Rui Couto (PSD) e Márcia Melo (PS).

NA sessão, a presidente da mesa da Assembleia de Freguesia cessante aproveitou para agradecer a confiança depositada há quatro anos e no cumprimento das suas funções, permitindo assim desenvolver o seu envolvimento ativo e contribuição nas resoluções e decisões de assuntos de relevada importância para a freguesia.

Maria dos Anjos Silva recordou que os membros que agora terminam o mandato, foram um grupo de trabalho amigo, unido, coeso, sempre com um objetivo em mente, trabalhar e dar o melhor para o crescimento e dignificação da sua terra e para o bem-estar da população.

Realçou ainda o espírito de camaradagem existente, inclusive com a “excelente” prestação de dois membros da oposição que em muito contribuíram com ideias e sugestões construtivas sempre numa atitude de cooperação.

Após a tomada de posse, a Presidente da Junta de Freguesia reeleita, Vitória Couto, destacou o facto de ter a plena consciência da exigência do cargo agora reassumido e da responsabilidade que este acarreta.

Vitória Couto diz estar pronta para trabalhar, conjuntamente com a sua equipa, e continuar a lutar para que a Ribeira chã progrida mais e melhor, em consonância com as suas raízes culturais, com o seu passado, costumes e tradições, mas sem descurar a modernidade, que continuará a ser o objetivo de futuro.

Quanto aos novos eleitos, Vitória Couto disse esperar, da Assembleia de Freguesia, que seja um espaço de diálogo, reflexão, debate e convergência de ideias que possam contribuir para o desenvolvimento da freguesia. “Saberei ouvir sem exceção todos e cada um. Agirei no sentido de assegurar que haja um ambiente de respeito, num ambiente de abertura ideológica, mas sem nunca ultrapassar os limites da ordem e do civismo”, adiantou, reforçando a necessidade de concentrar esforços no que é mais importante para a Freguesia, “o progresso e o desenvolvimento, numa perspetiva do construtivismo, pelo diálogo e pelo bom senso”.

A presidente eleita recordou que esta será uma Junta consciente das suas obrigações e dos seus deveres, pelo que será fiel ao seu programa, à sua estratégia e aos seus valores.

Nesta Assembleia de Freguesia extraordinária foram eleitos para o executivo da Junta a secretária Paula Ferraz, com cinco votos a favor e um em branco, e o tesoureiro Marco Soares, com cinco votos a favor e dois em branco.

Com a assumir dos cargos, entraram mais três membros para a Assembleia de Freguesia, José Farpelha, Graziela Paulos e Tiago Almeida, todos do PS.

Seguiu-se a votação para a mesa da Assembleia de Freguesia que foi assumida por Catarina Ambrósio com quatro votos a favor e dois em branco, tendo como secretárias Márcia Melo e Graziela Paulos.

Na tomada de posse, a nova presidente da mesa da Assembleia de Freguesia, Catarina Ambrósio, apelou para a colaboração de todos os membros da Assembleia, na perspetiva de “assumirem um papel preponderante na tomada de decisões, que revelam o grande sentido de responsabilidade e de missão e, acima de tudo, uma vontade coletiva que deverá conduzir ao bem comum”.

De recordar que no âmbito das eleições autárquicas do passado dia 1 de outubro, o PS obteve maioria absoluta com 66,81% dos votos (157) contra 31,06% do PSD (73). Nesta freguesia estavam 371 eleitores inscritos, votaram 235, tendo-se registado 2 votos em brancos e 3 nulos.

DL

Categorias: Autarquicas, Local, Política

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*