É ”urgente criar emprego estável” na Região

Um dos caminhos para ultrapassar a situação da pobreza nos Açores era a criação de emprego “estável e privado” afirma Anabela Borba, diretora diocesana da Cáritas que foi uma das participantes na reunião da Pastoral Social em Ponta Delgada.

“O nosso grande desafio agora é saber como nos vamos articular e de que forma vamos responder às necessidades concretas das pessoas” disse a dirigente que considera que a situação da pobreza nos Açores, “tal como no país”, “não é brilhante; é mesmo grave”.

“Não vivemos a crise de 2011 e 2012 porque já se nota alguma animação nomeadamente em São Miguel com a criação de pequenas empresas familiares na área do turismo, mas os Açores são nove ilhas e esta animação não é comum a toda elas” refere Anabela Borba.

A diretora da Cáritas diocesana sublinha que “a região tem tido dificuldade em criar emprego que pague salários dignos” e por outro lado, “soluções que vão para além da precaridade” oferecida com programas “que são um mal menor mas que não constituem uma resposta cabal às necessidades da sociedade porque não tranquiliza”.

“Na região há muito caminho a percorrer no que toca à pobreza relacionada com o trabalho; a baixa qualificação dos recursos humanos é uma questão concreta e real, estimulada muitas vezes pela falta de interesse das próprias pessoas” e “não conseguimos ultrapassar este ciclo”, refere.

Sobre a prioridade da igreja em relação às questões sociais, a dirigente lembra que Evangelizar não é outra coisa senão transmitir o amor de Deus aos homens e isso significa servir os homens, sobretudo aqueles que estão com vulnerabilidade.

“Ser igreja é isto: ir para a rua e ajudar o próximo… a oração é importante, mas infelizmente não chega e precisamos de responder de outra forma com ações concretas”.s é o serviço da igreja para a promoção dos cuidados sociais e a animação da pastoral social, focada em três áreas : a animação da pastoral social, atuar em situações de emergência e a promoção.

DL/IA

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*