Visita dos deputados da Comissão de Agricultura e Mar aos Açores é muito importante

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas considerou “muito importante” a vinda aos Açores dos deputados da Comissão de Agricultura e Mar, da Assembleia da República, salientando que a visita permitirá que fiquem a conhecer ‘in loco’ a realidade do setor agrícola, florestal e do mar.

A visita dos deputados da Comissão de Agricultura e Mar, que decorre até segunda-feira e inclui deslocações às ilhas Terceira, São Jorge, Pico e Faial, vai dar particular atenção à agricultura, ao leite, ao mar, à vinha e à agroindústria.

João Ponte, que falava, em Ponta Delgada, no final de uma audiência com os deputados daquela comissão parlamentar, salientou que no encontro com os deputados da comissão, que decorreu no Palácio de Santana, foi também abordada a questão das taxas de contribuição dos agricultores para a Segurança Social e da discriminação que existe entre produtores que iniciaram a atividade antes e depois de 2011, manifestando-se convicto que, se o assunto ainda não foi ultrapassado, “não foi por falta de vontade política do Governo”.

Neste encontro foi também abordada a ação do Governo na Política Agrícola Comum (PAC) pós 2020, designadamente com o POSEI, assegurando que há vontade do Governo Regional e de todo o setor para que no próximo quadro haja um reforço de verbas.

O Secretário Regional destacou ainda o bom aproveitamento que tem sido feito dos fundos do Programa de Desenvolvimento Rural dos Açores – PRORURAL+, salientando que mais de 60% do quadro está comprometido, dos 340 milhões que vieram para os Açores, e que os pagamentos efetuados são superiores a 30%.

João Ponte afirmou que o bom aproveitamento dos fundos contribui para a redução dos custos da atividade agrícola nas ilhas, sendo isso fundamental para os agricultores num período em que o preço do leite pago à produção não é aquilo que se desejaria para garantir maior sustentabilidade e rentabilidade às explorações agrícolas.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*