Rui Luís destaca qualidade da medicina reprodutiva realizada nos Açores

O Secretário Regional da Saúde destacou a qualidade reconhecida da procriação medicamente assistida realizada nos Açores.

“Este é um serviço que quando é bem prestado pelos privados, e sabemos que esta é das poucas clínicas no país que presta este serviço, naturalmente a opção é a de optar pela convenção entre serviço público e privado”, afirmou Rui Luís à margem de um encontro sobre procriação medicamente assistida promovido pela clínica Meka Center.

Rui Luís, em declarações aos jornalistas, salientou as taxas de sucesso elevadas da única clínica que presta estes cuidados de saúde nos Açores, frisando que “o turismo de saúde faz-se com serviços que sejam reconhecidos internacionalmente, que tenham certificação de qualidade“.

Esta clínica privada iniciou os tratamentos de fertilização ‘in vitro’ há 22 anos, tendo a Região estabelecido a primeira convenção na área da procriação medicamente assistida em 2010.

Atualmente, o regime de convenção é estabelecido através dos hospitais públicos da Região, onde os utentes são referenciados por consulta de apoio à fertilidade e encaminhados para o serviço privado.

Rui Luís esclareceu que, “desde 2014, foram referenciadas e encaminhadas para esta clínica cerca de 700 pessoas, com custos anuais que variam entre 500 e 600 mil euros, consoante o tipo de número de tratamentos”.

O encontro agora realizado surge na sequência da visita de cinco especialistas belgas a duas clínicas de procriação médica assistida em Portugal, entre elas a Meka Center, tendo também contado com a presença da presidente da Associação Portuguesa de Medicina da Reprodução.

DL/Gacs

Categorias: Saude

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*