Editorial: Eleições Autárquicas 2017

O Jornal Diário da Lagoa terminou, este sábado, a publicação de uma série de entrevistas realizadas com todas as candidaturas que concorrem às Eleições Autárquicas 2017, mais concretamente no concelho de Lagoa.

Ao longo da última semana, publicamos as entrevistas freguesia a freguesia, dando a oportunidade a todos os candidatos de se dirigirem à população, explicando o que os leva a concorrer a este ato eleitoral, o que a freguesia necessita e o que estes se propõem a fazer pela freguesia. Ouvimos todos os candidatos, sem exceção, às Assembleias de Freguesia e à Câmara Municipal de Lagoa.

Por escrito, recebemos as respostas de todos os candidatos onde, cada qual teve a oportunidade, da forma como melhor entendeu, de fazer passar a sua mensagem e os projetos da sua candidatura.

Alguns candidatos, certamente, muito mais teriam para dizer, e disso temos a certeza, mas por imposição de um limite de carateres, viram-se obrigados a reformular as suas respostas, reduzindo ao limite máximo das mesmas. Aliás, tal imposição, refira-se, foi proposta por um dos partidos que suporta as candidaturas e que, por sinal, acabou por prejudicar os seus próprios candidatos.

Essa situação levou mesmo a algum descontentamento e inclusive algumas acusações, que na nossa opinião são graves, dirigidas a este jornal, mas que ao qual somos alheios, até porque, nas respostas, cada candidato teve a oportunidade, recordamos, de fazer passar a sua mensagem, da forma como melhor entendeu.

Não tirámos palavras e não reformulamos respostas. Não impusemos a nossa própria leitura das respostas por forma a não desvirtuar o que poderia ser o sentido da resposta de cada um.

Nestas entrevistas, os candidatos pronunciaram-se sobre os problemas da sua freguesia ou concelho, deixando explanado as soluções para o futuro.

Face à difamação que temos sido alvo, as quais consideramos injustas e graves, e porque o combate eleitoral, que é frequente, não deve exceder os limites da razão e da boa fé, os profissionais deste jornal, cujos títulos foram atribuídos pelo Estado Português, não podem ser arrastados para lutas eleitorais. Via facebook foi posta em a causa a idoneidade do jornal como dos seus profissionais que, diariamente, com muito esforço e a todo o custo, mantêm vivo este jornal que não está confesso a qualquer entidade ou qualquer corrente ideológica partidária ou outro. Assim, consideramos que tais acusações excederam os limites da boa fé e da razoabilidade.

Esperemos que tal facto esclareça tais pessoas sobre a forma como este jornal é redigido, que nada tem a ver com vontades partidárias ou eleitoralistas, e subsiste muito para além do que são os momentos eleitorais na vida da democracia.

Quanto ao momento eleitoral atual, resta dizer que cabe agora a cada lagoense cumprir o seu dever cívico no próximo dia 1 de outubro, exercendo o seu direito de voto, votando naquele(a) candidato(a) que entende que melhor se enquadra na gestão da sua freguesia e/ou concelho.

O Diretor
Norberto Silveira

Categorias: Autarquicas, Editorial, Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*