Associação de Jovens Agricultores Micaelenses pretende aumento do preço do leite

Para o presidente da Associação de Jovens Agricultores Micaelenses (AJAM) apesar de se ouvir falar muito no aumento do preço do leite, na realidade, os valores aumentados não correspondem as necessidades da produção leiteira na ilha de São Miguel.

Houve um aumento de 2 cêntimos por litro de leite, quando os agricultores esperavam muito mais, sendo que, desde abril, a AJAM pediu esse mesmo aumento, reunindo, nessa mesma altura, com os intervenientes do setor, industria e com o Governo da Região Autónoma.

Falando em conferência de imprensa, César Pacheco recorda que na União Europeia, a média do preço do leite, ronda os 33 cêntimos por litro de leite, sendo mais 6 cêntimos do que o preço praticado em São Miguel, rondando os 27 cêntimos por litro, ou seja, 3 cêntimos a menos do que no Continente português. 

A AJAM pretende que o preço do leite suba de forma a recuperarem o valor perdido nos últimos dois anos. “Se nós não conseguirmos acompanhar o aumento do preço do leite, na medida certa, no tempo certo, corremos o risco de não chegarmos a atingir padrões de preço que nos possam recapitalizar e aí cria-nos algumas dificuldades de tesouraria”, salienta.

Assim sendo, o presidente da AJAM, pretende que a indústria se mantenha numa posição de subida do preço do leite ao produtor, tal como também já tinha sido pedido e salientado, anteriormente, pelo presidente da Associação Agrícola de São Miguel, Jorge Rita.

César Pacheco referiu que o Governo Regional deveria usar a sua influência para fazer alguma pressão nas industrias, de forma a atingir esse objetivo primordial para o setor agrícola, mas também aguardam algumas medidas conjunturais, nomeadamente o prémio por vaca leiteira.

Houve um aumento de produção do leite, em São Miguel, na ordem dos 3 milhões de litros de leite, considerando, César Pacheco, que esse aumento deve-se essencialmente à eficiência dos produtores, referindo que os mesmos, apesar das difíceis condições, têm mantido o seu entusiasmo e a sua perseverança, dando até uma resposta positiva na qualidade e quantidade de produção do leite.

Uma vez que os Açores representam 30% da produção de leite nacional, a Associação de Jovens Agricultores Micaelenses considera que deveriam estar enquadrados com a produção nacional, ou seja, usufruírem de um aumento de 3 cêntimos por litro de leite, ainda este ano.

DL/AS

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*