Fórum para a Cooperação Cultural, Educativa e Económica permite partilha entre vilas e cidades geminadas com a Lagoa

O Cineteatro Lagoense, na freguesia de Nossa Senhora do Rosário, recebeu o Fórum para a Cooperação Cultural, Educativa e Económica, cujo propósito passa pelo reforço de identidades, impulsionando a interculturalidade e celebração de 23 anos de geminações entre a cidade de Lagoa e outras autarquias.

O fórum decorreu esta segunda-feira, dia 19 de junho, com a presença das nove cidades e vilas geminadas com a Lagoa, sendo que esta terça-feira, dia 20 de junho, junta-se FairHaven às geminações lagoenses.

Para a presidente da Câmara Municipal de Lagoa, Cristina Calisto, este encontro é uma oportunidade única que conseguiu juntar todas as geminações na mesma altura, defendendo que os Açores abrem-se cada vez mais ao mundo.

As geminações servem para o desenvolvimento de um projeto que passa pela partilha de experiência, colaboração e conhecimento tanto a nível cultural, como educativo e económico. De forma a desenvolver as relações lusófonas, a Lagoa está geminada com: Sainte Thérese no Canadá, Bristol, Dartmouth, Rehoboth, New Bedford e Taunton, nos Estados-Unidos da América, Lagoa no Algarve, Biguaçu em Florianópolis, no Brasil, Santa Cruz na ilha de Santiago em Cabo Verde e já a partir do dia 20 de junho, com Fairhaven nos Estados-Unidos.

“Ao longo destes anos e, de forma pontual, temos desenvolvido atividades com as diferentes vilas e cidades e, hoje, uma vez mais e de forma global, temos a oportunidade única de reforçar a nossa ligação, firmando o intercâmbio entre os governos locais envolvidos e de interesse para todas as comunidades aqui representadas”, referiu a autarca lagoense.

Presente neste Fórum esteve o Diretor Regional das Comunidades que salientou toda a importância dos intercâmbios com as diversas autarquias, que fortalecem as relações com os Açores e reforçam o papel de proximidade com as comunidades, nomeadamente graças a ligações afetivas e culturais. Por outro lado, Paulo Teves, relembrou que estes encontros permitem projetar os municípios além do seu espaço geográfico, proporcionando momentos enriquecedores e frutuosos e isso, sem esquecer, a divulgação do arquipélago açoriano como destino turístico.

Por seu turno, Carlos Silva, presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz, da ilha de Santiago, em Cabo Verde, afirmou a relevância da geminação com a Lagoa, por ambas as autarquias defenderem pontos comuns de desenvolvimento, nomeadamente, no que diz respeito às áreas de negócio da pesca, agricultura e turismo. Para Carlos Silva, esta jovem geminação de quatro anos, tem que ser mais dinamizada, de forma a tornar os povos mais seguros, sendo que este Fórum permite a partilha do conhecimento, onde a amizade sairá mais reforçada.

“Na certeza de que uma semana passa a correr, espero que seja tempo suficiente para partilhar convosco o melhor que temos para oferecer: as nossas paisagens, as nossas tradições, os nossos costumes, a nossa identidade e as nossas gentes”, referiu a autarca lagoense, Cristina Calisto.

De salientar que uma comitiva de mais de 60 pessoas da Lagoa do Algarve, descolou-se a Lagoa dos Açores, num intercâmbio que iniciou no ano transato, onde os lagoenses da ilha de São Miguel levaram as suas tradições, nomeadamente religiosas, com as sopas do Divino Espírito Santo, até Lagoa do Algarve.

Para Anabela Simão, vereadora da Câmara Municipal de Lagoa (Algarve), esta iniciativa da Câmara Municipal de Lagoa (Açores) é memorável e notável, permitindo reforçar os vínculos entre ambas as geminações.

As duas cidades lagoenses, do Algarve e da ilha de São Miguel, estão geminadas desde 2008, festejando em 2018, 10 anos de uma relação de profunda amizade, com uma maior proximidade e desenvolvimento dos municípios, graças a diversas reuniões e atividades entre as entidades.

Anabela Simão recorda saudosamente, o momento “inesquecível” de partilha cultural e religiosa, em maio de 2017, com a ida dos lagoenses de São Miguel ao Algarve, salientando que os laços de irmandade e de amizade, vão mais longe e chegam à sociedade civil, nomeadamente com o intercâmbio educacional e receção de jovens algarvios à Lagoa – Açores.

Esta semana, a Lagoa dos Açores recebe os lagoenses do Algarve e para além de vários funcionários desta autarquia, a acompanhar, vêm dois grupos, o Grupo Folclore do Calvário e o Grupo de Cantares Fonte Nova.

Durante uma semana, a comitiva do Algarve, irá conhecer a ilha de São Miguel, com as suas tradições, cultura, gastronomia e paisagens, mas também irão divulgar a sua cultura musical e gastronomia, nomeadamente com um jantar, confecionado por cozinheiros algarvios. Assim sendo, o Porto dos Carneiros, no dia 21 de junho, pelas 20h00, irá receber o Jantar Algarvio composto por xérem, cataplana de peixe e bolo de gila e amêndoa à moda do Algarve e onde vários momentos musicais irão animar o convívio.

Este jantar e momento cultural integra o Fórum para a Cooperação Cultural, Educativa e Económica, que decorre de 19 a 25 de junho.

O Jantar Algarvio, é aberto a toda a comunidade de forma gratuita e terá, para além da gastronomia, a partilha musical, com a atuação pelas 20h00, do Grupo de Cantares Fonte Nova, seguindo-se pelas 20h30 da atuação do Grupo Folclórico do Calvário, ambos provenientes da cidade de Lagoa no Algarve. Pelas 21h30, atuará o Grupo Folclórico Grujola e, pelas 22h30, inicia-se a atuação do Grupo de Cantares Tradicionais de Santa Cruz, grupos estes representativos da tradição musical lagoense, dos Açores.

DL/AS

Categorias: Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*