Governo dos Açores incentiva cooperação em projetos científicos

O Diretor Regional da Ciência e Tecnologia destacou esta quinta-feira, dia 8 de junho, em Ponta Delgada, na abertura da reunião da rede BiodivERsA3, a necessidade de os Açores continuarem a investir na cooperação internacional através de projetos de base cientifica.

“Não temos dúvida nenhuma de que a nossa cooperação, valores e compromissos partilhados com o futuro, são essenciais para garantir a herança viva da biodiversidade europeia”, frisou Bruno Pacheco, reafirmando o compromisso do Governo dos Açores com esta rede.

Segundo o executivo regional, nesta reunião em Ponta Delgada está em discussão a identificação das melhores práticas de investigação como base para a implementação do Espaço Europeu de Investigação, tendo como objetivo principal a construção de uma plataforma dinâmica sustentável para identificar as questões estratégicas mais prementes para a biodiversidade.

No âmbito do trabalho de internacionalização do sistema cientifico açoriano, o Governo dos Açores, que é membro de pleno direito da rede BiodivERsA3 – Consolidating the European Research Area on Biodiversity and Ecosystem Services, através do Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia, tem vindo a investir em mecanismos de cofinanciamento do tipo ERA-NET, que promovem o estabelecimento de parcerias entre equipas de diferentes origens.

O Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia integra uma rede de 24 agências públicas de financiamento de investigação, de 18 países europeus.

No quadro desta rede foi lançada uma convocatória para candidaturas a projetos científicos na área da biodiversidade, com um orçamento global de 33,9 milhões de euros, cofinanciada pelo Programa Quadro H2020.

Participaram nesta convocatória mais de 3.000 investigadores europeus, num total de 132 candidaturas submetidas, tendi sido aprovados 26 projetos, dos quais dois envolvendo equipas açorianas, com um investimento regional superior a 150 mil euros.

Os investigadores açorianos participaram de forma ativa, submetendo nove candidaturas, o que representa uma taxa de sucesso de 22%, situando-se na mesma ordem de grandeza de países como a Alemanha, com 25% de aprovação.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*