PSD Lagoa apresenta cabeças de listas às Juntas de Freguesia e Câmara

Para o PSD Lagoa os presidentes de juntas de freguesia são o mais importante elo de ligação entre a população e qualquer governação, devendo-se dar a estes importantes agentes de promoção social, todas as condições e reconhecimento ao trabalho que estes desenvolvem.

“O PSD Lagoa orgulha-se dos candidatos que apresenta às juntas de freguesia, enaltecendo desde logo as suas qualidades pessoais, a disponibilidade por eles demonstrada e a vontade patente em contribuírem para o desenvolvimento local e a qualidade de vida dos seus concidadãos”, afirma o responsável concelhio.

“As pessoas certas para servir a população e não para se servirem”, assim foram apresentados os cabeças de lista numa assembleia concelhia que decorreu na sede do partido.

O PSD Lagoa apresenta “João Silva, 45 anos, técnico de farmácia, homem humilde, trabalhador e com percurso de vida exemplar, como candidato à presidência da Junta de freguesia do Rosário”.

O candidato à presidência da Junta de Freguesia de Água de Pau é Mike Soares, 35 anos, massagista de recuperação, que segundo o partido, trata-se de “um homem moderado, simpático e com reconhecida participação ativa na sua vila”.

O candidato à presidência da Junta de Freguesia de Santa Cruz é José Raimundo, 37 anos, funcionário administrativo nascido no seio de Santa Cruz, “cedo se destacou pelas suas convicções, capacidade de trabalho e dedicação nas suas participações em atos na sociedade”.

Nuno Rego, 32 anos, técnico de construção civil, “oriundo de famílias cabouquenses, é um homem proativo e objetivo, mostrando grande capacidade de trabalho”, será o candidato à presidência da Junta de Freguesia do Cabouco.

Para a presidência da junta de freguesia da Ribeira Chã, o PSD Lagoa apresenta José Pacheco, 46 anos, designer gráfico, “homem defensor acérrimo dos valores e tradições, defende a valorização e promoção da Ribeira Chã e das suas gentes, de forma intransigente”.

Por outro lado, o PSD Lagoa apresenta como candidato à presidência da Câmara Municipal de Lagoa Carlos Augusto Furtado, 46 anos, empresário, nascido, criado e residente na Lagoa.

Segundo o candidato, este envolveu-se neste projeto com o objetivo de trazer novas pessoas à vida pública do concelho, proporcionando desta forma outras oportunidades de representatividade aos lagoenses, ao mesmo tempo que pretende mostrar que o “poder é do povo” e não “ o povo é do poder”.

Em termos objetivos de governação Carlos Augusto Furtado defende que, a localização privilegiada do concelho não tem sido um vetor devidamente aproveitado. Para o candidato do PSD é muito importante que se objetive um rumo de projeção económica, gerador de empregabilidade sustentável, que trará independência financeira aos lagoenses, referindo também que muito há ainda a fazer em matéria de justiça social e igualdade de tratamento entre cidadãos. O direito à redistribuição justa dos impostos pagos pelos lagoenses, o apoio à promoção de habitação condigna, o reconhecimento e apoio às instituições locais, bem como a proteção social aos idosos e a criação de condições que estimulem os jovens à motivação pela sua valorização pessoal, são outros dos temas que merecem especial atenção.

Presente na sessão esteve o presidente da Comissão Política de Ilha (CPI) que, em declarações ao Jornal Diário da Lagoa, salientou o facto desta ser a primeira concelhia a apresentar os seus candidatos, o que é demonstrativo de vitalidade, saindo da sessão, não só os  nomes dos candidatos, que são pessoas capazes de recuperar as freguesias e a câmara, mas acima de tudo, saiu a união que é de ressalvar.

Segundo Alexandre Gaudêncio, além da masa humana que esteve presente, “está-se a falar de pessoas com provas dadas na sociedade  e que são os melhores para liderar os destinos políticos”.

O presidente da CPI espera agora uma luta democrática nas próximas eleições, recordando que quem tem a última voz são as pessoas e este pode ser um ponto de viragem no sentido de afirmar a Lagoa como cidade que deve ser afirmada e que tem potencial por explorar. Gaudêncio acredita que a equipa liderada por Carlos Furtado tem provas dadas para poder desempenhar um melhor papel do que aqueles que estão atualmente à frente dos destinos autárquicos.

“Existe um projeto alterativo que é claramente melhor e com pessoas que têm as suas vidas próprias e que não dependem da politica. São pessoas que estão disponíveis para servir os outros e não para se servirem”, realça.

Nesta sessão foi ainda apresentado o cabeça de lista à Assembleia Municipal, Carlos Resendes, natural do Cabouco, professor do ensino secundário e como mandatário o professor universitário Paulo Borges.

DL/PSDL

Categorias: Autarquicas, Local, Política

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*