Vasco Cordeiro afirma que “inconformismo de querer fazer mais e melhor” é a chave para o desenvolvimento dos Açores

O Presidente do Governo afirmou, em Ponta Delgada, que os Açores vivem atualmente “um período de esperança e de confiança renovada”, em resultado de um “esforço conjunto” com as empresas e os trabalhadores açorianos, mas frisou que o mais importante para se atingir o objetivo do desenvolvimento “é o inconformismo de querermos fazer mais e melhor”.

Falando na inauguração da Feira Lar, Campo e Mar, promovida pela Câmara de Comércio e Indústria de Ponta Delgada, Vasco Cordeiro assegurou que o Governo dos Açores “está e continuará a estar empenhado na criação de um ambiente estimulante à eficiência empresarial, disponibilizando um vasto conjunto de instrumentos que contribuam para fomentar a competitividade das empresas, por forma a impulsionar o desenvolvimento sustentável a médio e longo prazo”.

Na sua intervenção, o Presidente do Governo recordou os desafios enfrentados nos últimos anos, frisando que “as empresas dos Açores souberam aproveitar com eficácia e eficiência os apoios e incentivos públicos, o clima fiscal mais favorável e, com confiança, empreenderam, investiram e inovaram”.

Nesse sentido, frisou que existem hoje mais cerca de 12.200 Açorianos empregados do que havia há apenas três anos e o maior número de Açorianos empregados dos últimos oito anos, registando atualmente a Região “uma taxa de desemprego que diminuiu para metade face àquela que se registava há apenas três anos”.

Um crescimento económico de dois por cento em 2016 foi outro exemplo apontado pelo Presidente do Governo, recordando que os bons resultados alcançados até agora só foram possíveis devido à estabilidade orçamental e das contas públicas da Região.

Este clima de confiança traduz-se, segundo Vasco Cordeiro, não apenas nos 558 novos projetos de investimento privado apresentados nos últimos 12 meses, mas também no crescimento do volume de negócios reconhecido pelos empresários.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*