Governo dos Açores cria programa para promover sucesso escolar de crianças e jovens acolhidos em centros e lares

(c) Gacs

(c) Gacs

O Governo dos Açores apresentou esta quarta-feira, dia 20 de maio, o Programa ‘Acolher, Desenvolver e Integrar’, uma iniciativa que visa contribuir para a promoção do sucesso escolar de crianças e jovens que se encontram em Centros de Acolhimento Temporário e Lares de Infância e Juventude. 

Na apresentação deste programa, a Secretária Regional da Solidariedade Social frisou que, com esta iniciativa, “o Governo valoriza as boas práticas educativas e o sucesso escolar dos jovens em instituições de acolhimento”. 

Piedade Lalanda salientou que este programa não pretende expor os alunos publicamente, nem aumentar a sua vulnerabilidade, mas antes “incentivar as instituições que os acolhem a avaliar o modo como os apoiam e contribuem para o seu sucesso escolar”.  

Segundo a governante, enquanto permanecem nas instituições de acolhimento, estas instituições e o Estado têm o “dever de defender todos os direitos destas crianças e jovens, particularmente o direito à educação e à formação”. 

Para Piedade Lalanda, com a criação deste programa, o Executivo açoriano demonstra, “mais uma vez, o seu compromisso político com a implementação e consolidação de práticas e medidas que promovam um ambiente seguro e protetor, em defesa das crianças”.  

No âmbito desta iniciativa, o Governo dos Açores criou também o Prémio ‘Eu Aposto no Meu Futuro’, que pretende distinguir o desempenho escolar e educativo das crianças e jovens que se candidatarem. 

O prémio a atribuir às crianças e jovens que tenham frequentado o 2.º ou o 3.º ciclo do Ensino Básico ou o Programa Formativo de Inserção de Jovens (PROFIJ) nível II, depende de vários critérios, nomeadamente dos resultados escolares, e consiste num computador portátil e num certificado de distinção. 

Aos alunos que frequentaram o ensino secundário, profissional ou o Programa Formativo de Inserção de Jovens (PROFIJ) nível IV será atribuído um depósito bancário de 500 euros e um certificado de distinção. 

Para ter acesso a este prémio, as instituições de acolhimento deverão submeter as candidaturas entre 1 de julho e 29 de agosto. 

Relativamente a este prémio, Piedade Lalanda enalteceu a “generosidade e o espírito de parceria” do Banco Espírito Santo dos Açores, da Caixa Económica da Misericórdia de Angra do Heroísmo e da Fundação Portugal Telecom, que apoiam a iniciativa.

Na intervenção que proferiu nesta cerimónioa, o Secretário Regional da Educação, Ciência e Cultura defendeu que compete à escola pública “receber todos os jovens e contribuir de uma forma decisiva para a sua formação”. 

Luiz Fagundes Duarte referiu ainda que o Governo dos Açores “tudo tem feito” para que “a escola faça o seu papel” em todo o processo educativo. 

A escola pública, acrescentou, “tem feito o seu papel, que é o de criar condições ao nível dos quadros de pessoal, docente e não docente, de instalações, de programas de formação, incluindo a alimentação e os transportes”.

DL/GaCs

Categorias: Regional

Deixe um comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*