“Escolas não devem ser um laboratório com pessoas descontentes”, afirma Maria João Carreiro

A deputada do PSD/Açores Maria João Carreiro recomendou ao Governo regional a não fazer da escola um “laboratório de experiências desagradáveis orientadas por pessoas descontentes”.

A parlamentar social-democrata falava no debate que antecedeu o chumbo do PS à recomendação do PSD/Açores para que o executivo açoriano implemente, já no próximo ano letivo, medidas concretas para a fixação de professores nas escolas das ilhas da Coesão, como Corvo e Flores, conforme prevê o Estatuto do Pessoal Docente dos Açores.

“A estabilidade do corpo docente é fundamental para a implementação do projeto educativo da escola e para a melhoria do serviço público de educação. O próprio Governo já prevê o risco de instabilidade do corpo docente, mas ignora agora esse risco porque se trata de uma iniciativa do PSD/Açores”, insistiu a deputada à saída do plenário.

Neste contexto, “urge implementar verdadeiras políticas de fixação de professores nas ilhas da Coesão, em particular nas Flores e no Corvo”. Além disso, sublinhou a deputada, “esta é também a opinião dos mais diretos interessados no sucesso da educação nos Açores: as Assembleias de Escola, os Conselhos de Ilha e os Sindicatos dos Professores”.

Segundo a deputada social-democrata, a proposta do PSD/Açores para a adoção dos incentivos à fixação de professores, designadamente os previstos na lei, trata-se de uma medida “preventiva” e o chumbo da bancada do PS que apoia o Governo liderado por Vasco Cordeiro é “imprudente”, na medida em que ignora uma preocupação da comunidade educativa.

A deputada do PSD/Açores lembrou ainda o contínuo processo de despovoamento das ilhas mais pequenas e frisou que “só conseguiremos estancar este processo, se formos capazes de ter uma resposta diferenciada para problemas diferenciados”.

DL/PSD

Categorias: Política

Deixe um comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*