Papa Francisco de visita Fátima

Um apelo à paz entre os povos, uma receção calorosa à chegada ao Santuário e o silêncio que Francisco partilhou com os peregrinos na Capelinha das Aparições marcaram o início da visita do papa a Fátima.

Jorge Mario Bergoglio chegou a Portugal às 16:10, com o avião onde seguia a aterrar na pista da Base Aérea de Monte Real, em Leiria, local onde o líder da Igreja Católica foi recebido pelas três mais altas entidades do Estado português: o Presidente da República, o presidente da Assembleia da República e o primeiro-ministro.

Depois da viagem de helicóptero de Monte Real até ao estádio de Fátima, seguiu-se um percurso até ao Santuário. Pelo caminho, Francisco foi recebido com gritos de “Viva o papa” e “Francisco, Francisco”, lenços brancos, pétalas de flores e muitas fotos e vídeos de milhares de pessoas que esperaram durante horas por uma oportunidade para ver o pontífice.

A chegada do líder da Igreja Católica a um santuário cheio foi marcada por aplausos dos milhares de fiéis que ocupavam o recinto.

A igreja em peso deslocou-se até a Cova da iria reunindo 135 prelados, 8 cardeais e mais de 2 mil sacerdotes. Entre eles alguns dos Açores. A igreja insular esteve ainda representada pelo bispo de Angra, D. João Lavrador.

Assim que Francisco entrou na Capelinha das Aparições e se deteve por cerca de oito minutos em frente à imagem da Nossa Senhora de Fátima, rezando, as pessoas acompanharam o papa, trocando a euforia da saudação inicial pelo silêncio.

Na oração que fez na Capelinha das Aparições, dirigindo-se aos milhares de peregrinos que se encontravam no Santuário, o papa Francisco deixou uma mensagem de paz, pedindo “a concórdia entre todos os povos”.

Repetindo as suas preocupações em relação aos conflitos que ocorrem em diversas partes do mundo, pediu a Nossa Senhora para que veja “as dores da família humana que geme e chora neste vale de lágrimas”.

O papa evocou, na ocasião, o exemplo dos beatos Francisco e Jacinta Marto, que no sábado serão canonizados no início da eucaristia no recinto do Santuário da Cova da Iria.

“Percorreremos, assim, todas as rotas, seremos peregrinos de todos os caminhos, derrubaremos todos os muros e venceremos todas as fronteiras, saindo em direção a todas as periferias, aí revelando a justiça e a paz de Deus”, afirmou Francisco na sua oração, acrescentando: “Seremos, na alegria do Evangelho, a Igreja vestida de branco, da alvura branqueada no sangue do Cordeiro derramado ainda em todas as guerras que destroem o mundo em que vivemos”.

O papa Francisco presidiu ainda à bênção das velas, já durante a noite.

Este sábado, o papa presidirá à eucaristia após um encontro com o primeiro-ministro António Costa, um momento de oração junto dos túmulos dos pastorinhos, na Basílica de Nossa Senhora do Rosário, e um breve encontro com o padre mais idoso de Portugal.

DL/IgrejaAçores

Categorias: Religião

Deixe um comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*