Gastronomia e convívio marcam II Festival de Sopas do Cabouco

O Centro Social e Cultural do Cabouco (CSCC) promoveu a dia 22 de abril, o II Festival de sopas, na freguesia do Cabouco, na Lagoa.

Todos os que pelo salão da Junta de Freguesia passaram, puderam degustar quatorze sopas com diversos sabores, mas apenas treze sopas foram a concurso, sendo que a sopa de legumes, do Centro Social e Cultural do Cabouco, por ser a sopa da casa, não participou no mesmo.

Para a presidente do Centro Social e Cultural do Cabouco, Maura Pacheco Ponte, fazia todo o sentido realizar este segundo festival de sopas, tendo em conta que o primeiro correu muito bem, tanto a nível dos participantes de sopas, como dos curiosos que vieram provar as mesmas.

“Como todos sabem quando fazemos esse tipo de eventos, há sempre por detrás o cariz monetário, para angariação de fundos para a nossa instituição de solidariedade social. Como todas as outras, passa sempre por crises financeiras e é uma forma de nós fazermos face a esta situação”, explica Maura Pacheco Ponte ao Jornal Diário da Lagoa, demonstrando a sua preocupação com as questões financeiras do CSCC.

Por outro lado, o evento permite, para além da vertente gastronómica, com a amostra culinária de cada grupo, associação ou particular, o convívio entre a comunidade do Cabouco, que não tem por hábito conviver diariamente.

Das treze sopas a concurso, três foram premiadas, sendo que a preferida foi a sopa de cherne, confecionada pela Associação Grupo de São Martinho,

A Casa do Povo do Cabouco ficou em segundo lugar com a sopa de peixe. Serafim Rodrigues, confecionou a sopa de carne e conseguiu o terceiro lugar.

Recorde-se que o primeiro prémio foi uma caixa de chá, o segundo um tabuleiro e o terceiro uma colher de pau.

“Este ano nós tivemos muitos particulares que confecionaram as sopas, desde utentes do Centro Social, pais de utentes, pessoas que já fizeram parte do Centro Social e agora estão mais afastadas, mas que têm sempre o seu coração ligado e diz-nos sempre algo”, salientou a presidente do CSCC.

Uma particularidade deste II Festival de Sopas do Cabouco foi a participação do Centro Social e Cultural de São Pedro, que é uma instituição parceira do Centro Social e Cultural do Cabouco e que prezou o festival com a sua sopa.

De ano para ano, o Festival de Sopas do Cabouco tenta inovar, nomeadamente no que diz respeito à decoração do espaço de convívio, ao vestuário dos funcionários, de forma a primar pela diferença e não ser sempre repetitivo, sendo que umas quarenta pessoas envolveram-se no projeto.

DL/AS

Categorias: Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*