BE questiona Ministro do Ambiente sobre financiamento à incineradora de São Miguel

Na sequência das recentes declarações do presidente da AMISM, o qual, após reunião com o Ministro do Ambiente, anunciou que estaria garantido o financiamento à construção de uma estação de Tratamento Mecânico e Biológico a montante da incineradora, com recurso a fundos comunitários, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda na Assembleia da República questionou ontem o Ministro do Ambiente se confirma o financiamento ao TMB anunciado por Ricardo Rodrigues, presidente da AMISM.

O deputado do Bloco de Esquerda, Jorge Costa, recorda que “as taxas de separação de resíduos dos TMB, facilmente ultrapassam os 50%, o que significa que 50% dos resíduos que iriam ser incinerados passam a ser reciclados. Obviamente que, desta forma, o projeto da incineradora torna-se largamente sobredimensionado por falta de lixo. Significaria isto que ficaríamos com uma incineradora sobredimensionada que seria necessário alimentar com resíduos.”

Segunda uma nota enviada à nossa redação, perante estes novos dados, o Bloco de Esquerda questiona ainda: “O Ministério não considera que a construção desse TMB significa que o projeto inicial da central incineradora terá que ser revisto e redimensionado?”

A incineradora de São Miguel será financiada através do programa operacional POSEUR, com 70ME. Este programa operacional disponibiliza, para o setor dos resíduos, em todo o país, 306 milhões de euros, ou seja, para a construção da incineradora de São Miguel serão aplicados cerca de 23% dos fundos destinados ao setor.

Recorde-se que o Bloco de Esquerda/Açores já defendeu, por diversas vezes, que o processo de construção da incineradora em São Miguel tem de parar de imediato para que se estudem todas as alternativas e para que não sejam os contribuintes a pagar os custos desta má decisão.

DL/BE

Categorias: Política

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*