Centro Social e Cultural da Atalhada pretende abraçar novos e inovadores projetos no concelho de Lagoa

Depois de dois anos de reestruturação interna, os órgãos sociais do Centro Social e Cultural da Atalhada, que tomaram posse em 2015, acreditam que 2017 será o ano ideal para dar um novo rumo à instituição, nomeadamente com novas atividades.

O Centro Social e Cultural da Atalhada (C.S.C.A.) na cidade de Lagoa, tem tido uma grande expansão, principalmente na divulgação do seu trabalho, e um aumento da abrangência no que diz respeito à atuação.

Esta Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) lagoense, liderada por Nuno Martins, Presidente da Direção do C.S.C.A., é um ator social fundamental na Lagoa, sendo a maior instituição do concelho, tanto a nível do quadro de pessoal, como da abrangência da sua atuação junto da população e desde a infância à terceira idade conta com um número elevado de utentes.

Segundo Nuno Martins, as instituições sociais e culturais devem reinventar-se e abraçar novos e inovadores projetos, tornando-se assim vetores de desenvolvimento do concelho de Lagoa.

Desta feita, ainda no corrente ano, o Centro Social e Cultural da Atalhada, numa parceria com a Câmara Municipal de Lagoa, irá construir um Complexo Social no lugar da Atalhada, que albergará diversos serviços e valências da instituição.

Por outro lado, a valência da pastelaria, será reinstalada noutro local, permitindo um melhoramento das condições da mesma e principalmente uma melhor proximidade com os mercados locais, trazendo maior afluência por parte dos compradores.

Consequentemente, serão lançados novos produtos, que visam criar uma nova marca, de forma a permitir a expansão de outros mercados e principalmente a criação de emprego sustentável para a população com maior dificuldade de inserção no mercado de trabalho.

Já neste mês de abril, um novo serviço na área da infância será lançado pelo C.S.C.A., nomeadamente com a abertura pós-laboral e aos fins-de-semana de vários espaços educativos, creche e ATL, para crianças dos quatro meses aos onze anos.

Uma das áreas abrangidas pelos novos desafios da instituição lagoense será a juventude, apostando no desenvolvimento de novas valências dirigidas aos jovens e promovendo o voluntariado.

Em declarações ao Jornal Diário da Lagoa, o Presidente da Direção do C.S.C.A., salienta que pretende “lançar as bases para um novo movimento na Lagoa e na ilha de São Miguel”, investindo principalmente nos jovens, trazendo os mesmos para o centro da participação cívica e para a concretização de ações junto das suas comunidades locais, num formato de voluntariado.

Nos dias 15, 16 e 17 de setembro, o Centro Social e Cultural da Atalhada, irá organizar a II Feira de Economia Solidária – ISOS, que assinalará o 20º aniversário da instituição. Este ano, a feira deverá ter maiores dimensões do que no ano anterior e durante a sessão solene de comemoração do aniversário, será atribuído o título de Sócio Honorário a algumas individualidades que contribuíram para a consolidação da mesma.

Em termos culturais, o C.S.C.A. irá dinamizar uma Aldeia de Natal, dos dias 1 a 10 de dezembro, criando um mundo de fantasia ligado à temática natalícia, com animação para crianças, jovens e adultos.

“Não é intuito do Centro Social e Cultural da Atalhada entrar em colisão com as atividades desenvolvidas por outras entidades e muito menos com as atividades desenvolvidas pela autarquia. Estas atividades são complementares à oferta de todas as outras atividades a dinamizar durante o ano no concelho de Lagoa e contam com o apoio insubstituível da autarquia. Além do mais, com estas atividades o Centro Social e Cultural da Atalhada visa angariar fundos para a criação de um Fundo de Emergência Social para apoiar, na medida do possível, todos os indivíduos e famílias cujas situações não são abrangidas pelos apoios sociais em vigor por parte da Região e do Município”, declarou Nuno Martins ao Diário da Lagoa.

Finalmente, no que diz respeito à economia solidária, o Presidente da Direção do C.S.C.A., pretende anunciar novas áreas que permitirão criar emprego sustentável e não ficar dependente do financiamento público, mas esses projetos serão anunciados futuramente, aguardando que todas as condições para o seu lançamento estejam reunidas.

Criado a 17 de setembro de 1997, o Centro Social e Cultural da Atalhada nasceu da necessidade de desenvolver esforços, no sentido de promover actividades sociais e culturais em apoio à população.
Recorde-se que esta IPSS assume-se como uma das maiores do concelho de Lagoa, empregando mais de meia centena de funcionários distribuídos nas suas diversas valências, designadamente: rede de CATL; Creche; Carpintaria; Cooperativa de Artesanato; Pastelaria e Centro de Convívio de Idosos.

DL/AS

Categorias: Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*