Governo dos Açores cria a figura do gestor do doente para otimizar a deslocação de utentes

O Secretário Regional da Saúde anunciou na Assembleia Legislativa, na Horta, que a deslocação de utentes será otimizada com a criação da figura do gestor da deslocação de doentes.

Rui Luís, que falava no debate das propostas de Plano e Orçamento para 2017, salientou que se pretende com esta medida “centralizar as marcações dos atos clínicos dos vários serviços” para “otimizar os recursos e diminuir o tempo de ausência do doente da sua ilha de residência”.

Relativamente à deslocação de especialistas, o levantamento das necessidades de consultas e exames nas ilhas sem hospitais está concluído.

O Governo Regional, frisou Rui Luís, está “disponível para aperfeiçoar a portaria de deslocação de especialistas, situação que já abordámos com os sindicatos e com a Ordem dos Médicos, e que iremos formalizar em devido tempo”.

Na sua intervenção, centrada no acesso dos Açorianos aos cuidados de saúde, o governante referiu que a melhoria da gestão das listas de espera cirúrgicas passa por “uma maior complementaridade entre os hospitais regionais e o restante sistema de saúde, mas também por um melhor aproveitamento dos tempos cirúrgicos, mediante uma melhor gestão dos blocos operatórios”.

Em matéria de investimento, o Plano e o Orçamento prevê na área da Saúde um montante de 24,9 milhões de euros.

A maior fatia destina-se à segunda fase da construção do novo corpo C do Hospital da Horta e do Centro de Saúde da Horta.

Seguem-se as obras de beneficiação dos centros de saúde de Santa Cruz das Flores, das Lajes do Pico, das Velas e da Calheta, em São Jorge, e a remodelação e ampliação dos centros de saúde da Ribeira Grande, da Graciosa e do Corvo.

O Secretário Regional revelou ainda que será feito um levantamento dos equipamentos públicos e privados do sistema regional de saúde para otimizar recursos, ao nível da partilha e manutenção.

Para a área da prevenção e promoção de estilos de vida saudáveis, o plano para 2017 prevê uma verba de 900 mil euros.

Rui Luís salientou o rumo da prevenção “numa ótica transversal e integradora, numa ação interdisciplinar porque este trabalho cabe a todos”.

O Secretário Regional realçou ainda a aposta em equipamentos, comunicações e transporte terrestre de emergência destinados ao Serviço Regional de Proteção Civil, no valor global de 7,3 milhões de euros, justificando o investimento pela dispersão geográfica e pelo desempenho deste setor.

O titular da pasta da Saúde destacou também a análise que será feita ao Plano Regional de Saúde, através de um relatório de primavera.

DL/Gacs

Categorias: Saude

Deixe um comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*