Várias dezenas de pessoas estreiam trilho Pedras Brancas na Lagoa

17198135_168638580310284_817760715_n

Inaugurou-se, no passado sábado, dia 4 de março, sob um céu moderadamente nublado e uma temperatura agradável, o novo trilho Pedras Brancas, na Lagoa, que vai buscar este nome ao facto de existir, como parte integrante do trilho, uma formação rochosa que era conhecida, em outros tempos, como “Pedras Brancas”.

Contando com a presença de muitas dezenas de pessoas, desde jovens a indivíduos mais veteranos na lida difícil e exigente dos trilhos, a expectativa geral era alta para conhecer, em primeira mão, este novo trilho. Acontece que o trilho Pedras Brancas consiste numa pequena rota circular com 16 quilómetros de extensão com início e fim na Vila de Água de Pau.

Tendo a natureza da zona sul da ilha de São Miguel como pano de fundo, os participantes caminharam durante algumas horas, havendo sido deixada a impressão de um trilho, para os mais assíduos apreciadores desta prática, fácil, mas, para os mais inexperientes, difícil ou apenas de dificuldade moderada. A verdade é que, embora o início se tenha revelado exigente, como constataram alguns dos presentes, o mesmo trilho tende a ser bastante acessível, até para os mais novos, que o completaram sem grandes dificuldades.

Uma constante deste novo trilho prende-se com as paisagens que nos oferece, sendo que, em determinados pontos, torna-se possível apreciar, de uma forma única e a alguns metros de altitude, a freguesia de Água de Pau. Mais à frente, também se descaíram, embora mais à distância, os olhares dos presentes sobre a freguesia mais pequena do concelho, onde, através de um trilho de ligação, é possível chegar: a Ribeira Chã.

A Ribeira Chã foi mesmo o destino final deste percurso, já que a caminhada inaugural pelo novo trilho compreendeu apenas uma parte deste, sendo que, aquando da chegada à freguesia, os presentes, exaustos, mas realizados, tiveram à sua disposição especialidades próprias da Ribeira Chã na área da doçaria: as tão famosas papas de serpentina e o popular Bolo de Banana, acompanhados por um Chá de Poejo.

Em declarações ao Jornal Diário da Lagoa, a autarca Cristina Calisto Decq Mota, considerou que “nós temos vindo a assistir nos últimos anos a uma presença muito assídua de turistas e a uma grande afluência aos Açores, e uma boa parte deles vem procurar o turismo de natureza e obviamente que aqui na Lagoa, tendo estes trilhos, já tendo a Janela do Inferno, tendo este, e vamos abrir mais um, isto vai permitir que haja um grande fluxo de pessoas a passar pelo concelho da Lagoa e a conhecer não só as experiências que um trilho permite, mas também depois viver um bocadinho a vida da Lagoa”.

A edil lagoense frisou ainda que “o grande potencial deste novo trilho é o potencial turístico. O nosso interesse é que o trilho seja potenciado em termos turísticos, por isso o que importa é divulgar este trilho, quer nos sites do governo regional destinados a trilhos, quer nos nossos canais de comunicação próprios da Câmara Municipal de Lagoa”.

DL/JTO

Categorias: Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*