“A intenção é continuar a trabalhar diariamente e poder dar aos nossos clientes o melhor possível”

17121744_10212527543522780_614214778_o

O restaurante A Traineira celebrou, no passado dia 1 de março, os cinco anos da sua nova gerência, que, até hoje, era maioritariamente encabeçada por Paulo Juromito, o empresário que assumiu, há meia década, os destinos deste restaurante que, segundo o mesmo, “é uma casa já com história e nome”.

O agora gerente do restaurante Mariserra deixou antever, na celebração do 5º aniversário, aquele que será um novo ciclo para A Traineira, que a partir de agora, contará, inclusive, com um novo chef de cozinha, o Chef Álvaro Lopes, que, com certeza, “vai trazer variadíssimas novidades”, frisa Paulo Juromito, acrescentando que “o seu historial já é tão bom que vai ser muito bom para a Traineira ter o Chef Álvaro aqui. Vai haver algo diferente na ementa do restaurante. Convido-vos a virem saborear os novos sabores e paladares que a nova ementa trará à casa”.

Ao longo dos cinco anos já passados, o crescimento e o amadurecimento do estabelecimento têm sido notórios, sendo que, agora, a gerência passa a ficar maioritariamente nas mãos do novo Chef.

“Tem vindo a evoluir o nosso conhecimento relativamente ao cliente e àquilo que ele deseja e também relativamente àquilo que nós podemos dar a ele. Nós próximos anos com certeza iremos melhorar mais e agora a entrada do Chef Álvaro faz com que se melhore muito mais e a intenção é continuar a trabalhar diariamente e poder dar aos nossos clientes o melhor possível, servindo-os da melhor maneira”, sublinhou Paulo Juromito.

Segundo o empresário, as dificuldades que a restauração lagoense tem vindo a viver, quando no passado a Lagoa já foi considerada a zona nobre da restauração açoriana, têm que ser combatidas, prometendo “trabalhar para que venha outra vez esse nome, para que essa zona nobre da restauração esteja na Lagoa”.

Contará, para isso, certamente com o precioso auxílio do novo Chef Álvaro, que, para já, se compromete em “manter o peixe fresco obviamente”, sem descurar “fazer mais alguns pratos que são da minha autoria e que aqui ainda não são conhecidos. Os Açores têm o melhor peixe e a melhor carne do mundo e há que saber tirar partido disso. Vamos manter o peixe e o marisco e acrescentar alguma da boa carne que se produz nos Açores”, sublinha.

O mesmo, em declarações ao Jornal Diário da Lagoa, não ignora a realidade que nos Açores há uma certa predisposição para não se apreciar produtos mal passados, o que, segundo o próprio, é um erro, pois uma boa carne, por exemplo, deve ser rosa e, quando a cortamos, deve aparecer aquele suco vermelho a acompanhá-la, sendo que os açorianos, por norma, tendem a gostar muito mais de produtos muito bem passados. Contudo, promete-nos algo diferente e inovador.

Uma das vantagens de se estar tão perto do mar e de um porto de pescas, para o Chef Álvaro, é a de que “assim temos sempre peixe fresco, marisco fresco. Temos a possibilidade de ir sempre buscar água do mar para cozer as nossas cracas, o nosso marisco e para mantermos vivos os mariscos que temos no nosso aquário”.

Já Cristina Calisto Decq Mota, em declarações ao Diário da Lagoa, realça “que este aniversário é mais um acontecimento que marca uma etapa na vida económica do concelho de Lagoa”.

“Efetivamente nós temos, no ramo da gastronomia, uma restauração com fama, com prestígio e nem com os períodos mais conturbados da vida das nossas famílias, os períodos de crise e de alguma dificuldade, perdemos o bom nome que temos no âmbito da restauração”.

A presidente da Câmara Municipal de Lagoa considerou que, “para além de toda a tradição e de todas as conquistas feitas no ramo da gastronomia, temos empresários com capacidade de inovar e, hoje, a Traineira, no 5º aniversário, está precisamente a mostrar a sua capacidade de inovar. Como qualquer negócio, é preciso sermos empreendedores e inovadores. A Traineira, com o seu novo Chef de cozinha, vem precisamente dizer que os tempos são outros e que também aqui há que apresentar uma nova dinâmica”, havendo, na Lagoa em particular, um fenómeno muito próprio, de acordo com a edil: “come-se bem a todos os níveis, mas claro que há uma predominância na área da pesca, com pratos que são sempre recomendáveis, e, naturalmente, isso é um fator de atração à nossa cidade”.

DL/JTO

Categorias: Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*