Associação de Emigrantes dos Açores promove seminário que aproxima as comunidades e divulga o arquiélago

16804672_10212412622129817_1149477241_o

De forma a aproximar as comunidades, partilhar informações e divulgar os Açores, a Associação de Emigrantes dos Açores (AEA), organizou um primeiro seminário subordinado ao tema “Perspetivas para um futuro do emigrante de ontem ou de hoje”.

O seminário decorreu esta sexta-feira, dia 17 de fevereiro, no Parque de Ciências e Tecnologia de São Miguel – Nonagon, na Cidade de Lagoa, e contou com vários oradores e momentos de debate. Dois temas principais foram apresentados, nomeadamente: os Desafios Colocados pelo Envelhecimento Populacional na Diáspora Açoriana e nos Açores e os Programas/Oportunidades de Investimento Económico/ Empresarial no Canadá, nos EUA e nos Açores.

O Arquipélago Açoriano é considerado uma “terra de partidas”, onde os emigrantes são o prolongamento das nove ilhas, criando assim a décima ilha açoriana.

Uma das principais preocupações mencionadas no seminário, é o facto da comunidade açoriana estar a envelhecer. Um dos exemplos é o da comunidade em Toronto, com 13370 idosos que têm mais de 65 anos e que são de origem portuguesa.

Por consequente, perceber o que mais afeta os idosos emigrantes no dia-a-dia, também foi um tema predominante durante a conferência.

Assim sendo, várias instituições, como é o caso da Immigrants Assistance Center, em Boston, nos EUA, ou do Centro Comunitário Working Women, em Toronto, no Canadá, ajudam os idosos a ultrapassarem diversos problemas do quotidiano, nomeadamente: barreiras linguísticas, questões burocráticas, problemas de saúde e de solidão.

A valorização dos emigrantes idosos enquanto pessoas, fornecendo-lhes uma vida mais saudável e feliz, é uma verdadeira preocupação comunitária.

Por outro lado, os diversos programas e oportunidades de investimento económico foram apresentados durante o seminário, com a intervenção do Cônsul dos EUA em Ponta Delgada, do Conselheiro e Cônsul da Embaixada do Canadá em Portugal e do Presidente do CA da SDEA- Sociedade para o Desenvolvimento Empresarial dos Açores.

Algumas mais valias empresariais permitem o desenvolvimento das empresas açorianas, nomeadamente com a captação dos investimentos, dos incentivos e apoios às entidades.

Para o Diretor Regional das Comunidades, Paulo Teves, é relevante que o associativismo organize vários eventos e que não seja sempre o Governo Regional a tomar essa iniciativa.

Paulo Teves defendeu a importância da AEA organizar futuramente outros seminários com temas diferentes. Sendo que, o Diretor Regional das Comunidades insistiu sobre o tema da solidão do idoso, que pode ser mais difícil do que a situação económica.

Este seminário permitiu demonstrar a importância do projeto Açores e de implementar novas estratégias, de forma a integrar todos os açorianos.

DL/AS

Categorias: Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*