PS diz que bons resultados da liberalização aérea nas ilhas não colidem com simplex na atribuição de subsídio de mobilidade a açorianos e madeirenses

Lara MArtinho PS deputada Assembleia Republica Açores AR PS

“Queremos garantir que os residentes são reembolsados no mais curto espaço de tempo, mas sem pôr em causa todas as mais-valias que a liberalização trouxe para a coesão económica e social das nossas regiões”. A afirmação foi feita esta manhã em plenário pela deputada do PS eleita pelos Açores, Lara Martinho, na apresentação de um projeto de resolução do PS a recomendar ao Governo a criação de mecanismos que permitam a simplificação do procedimento de reembolso do subsídio social de mobilidade.

A Vice-Presidente do Grupo Parlamentar do PS lembrou que para “quem vive numa ilha, as acessibilidades, nomeadamente os transportes aéreos assumem uma importância redobrada, com um contributo permanente e ativo para a coesão social, económica e territorial da região” e aplaudiu os impactos positivos que a liberalização aérea trouxe para ambas as Regiões.

Segundo a socialista, esses efeitos notam-se não só no turismo, onde os Açores são a Região com maior crescimento – de 21% no caso de dormidas e de 30% no que toca a proveitos -, mas também na vida de residentes e estudantes. Lara Martinho recordou que o valor das passagens caiu para metade e que é possível ao residente viajar de qualquer ilha para o continente pelo mesmo valor. No entanto, acredita que há espaço a melhorias na simplificação do sistema de reembolso. “Os constrangimentos identificados como as longas filas de espera nos CTT, a obrigatoriedade de apresentação de diversos documentos que se repetem a cada pedido, e o pagamento do reembolso apenas em numerário são alguns exemplos de áreas que temos de melhorar nos Açores e na Madeira”, defendeu.

DL/PS

Categorias: Política

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*