Expedição EDP Mar Sem Fim coloca onda dos Açores nos Prémios Mundiais de Ondas Grandes

A primeira expedição do ano coloca onda do município de Ribeira Grande lado a lado com locais de todo o mundo como Irlanda, Hawaii, Australia, Canárias, Estados Unidos, Fiji, México ou Nazaré. Açores compete agora lado a lado com os melhores destinos de ondas grandes reconhecidos mundialmente, sendo os finalistas anunciados no final de Março e os vencedores apresentados na cerimónia de entrega dos prémios em Abril.

O projecto EDP Mar Sem Fim regressou aos Açores, para a primeira expedição desta temporada de ondas grandes. A equipa destacada para esta missão de exploração consistiu nos melhores surfistas de ondas grande em Portugal: Alex Botelho, António Silva, João Guedes, João de Macedo e ainda os convidados Eric Rebiere e Sebastian Steudtner.

O dia 27 de janeiro teve início com uma sessão matinal no baixio de Santana, local eleito para arrancar as expedições EDP Mar Sem Fim de 2017 e exactamente o mesmo local onde foi realizada a primeira expedição em 2014. No total, uma equipa de seis surfistas equipados com quatro motas de água Yamaha e embarcação de socorro dos bombeiros de Ribeira Grande entraram em ação pelas 09:30h.

A sessão de tarde decorreu na zona da Lomba da Maia na Costa Norte, mais concretamente no Pico da Viola, local também já explorado anteriormente em expedições passadas. E foi já no final da sessão que João de Macedo apanhou a bomba do dia e garantiu a primeira nomeação dos Açores aos Big Wave Awards da WSL.

Para João de Macedo: “Apanhar uma onda deste calibre – uma onda de uma vida – nos Açores – em território nacional simboliza tudo o que EDP Mar Sem Fim representa para o surf nacional. O projecto proporciona, proporcionou e vai continuar a proporcionar aos surfistas Portugueses das Ondas Grandes momentos incríveis como estes em que estamos todos juntos, em equipa mas a puxar uns pelos outros e elevar os nossos limites. Mais uma vez o João Guedes foi um grande destaque. O Alex Botelho é sempre incrível e faz parte do futuro do surf de ondas grandes e o António Silva sempre um grande talento com um dos currículos mais completos do surf nacional de ondas grandes está a mostrar uma vontade muito especial de estar em equipa e de puxar os seus limites e com isso os limites do surf nacional. Isto foi um momento de grande consagração para nós, para as ondas que estamos ajudar a promover nos Açores para proporcionar o surf espectáculo de ondas grandes e perfeitas.

Mário Almeida, responsável do projeto, fez o balanço no final: “Foi a expedição com menos sessões de surf, mas uma das mais memoráveis porque conseguimos um dos objectivos do projecto: nomeações para os Big Wave Awards para além da Nazaré. Temos investido nos últimos anos nos Açores e para além das fantásticas ondas e pessoas que temos tido o privilégio de conhecer, conseguimos também dar o merecido destaque que os Açores merecem no panorama de ondas grandes e perfeitas a nível mundial.

A próxima expedição está a ser planeada ao Grupo Ocidental.

DL/ MSF

Categorias: Desporto

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*