Projeto “Geocaching e Turismo” envolve mais de 300 alunos

geocahing e turismo Lagoa Açores 01

Pelo quarto ano consecutivo, a Escola Secundária de Lagoa (ESL), apresentou o “Geocaching e Turismo”, um projeto que foi desenvolvido por cinco turmas que frequentam os cursos profissionais de Técnico de Turismo Ambiental e Rural e Técnico Profissional de Gestão Ambiental, sendo que também foram envolvidos mais de 300 alunos nesse jogo de aventura.

A apresentação do projeto “Geocaching e Turismo” contou com diversos oradores, nomeadamente o professor e coordenador do projeto, Luís Filipe Machado, a Presidente da Câmara Municipal de Lagoa, Cristina Calisto Decq Mota, o Delegado do Turismo de São Miguel, Filipe Frias, e em representação da Câmara Municipal da Ribeira Grande, Sónia Moniz.

Para o Presidente do Conselho Executivo da ESL, Alexandre Oliveira, o geocaching permite criar um movimento interessante onde as pessoas se podem deliciar nesta ilha encantada, sendo que o principal objetivo do mesmo é o de fazer “mexer”.

Por outro lado, o geocaching é uma verdadeira ferramenta promocional do turismo, que de uma forma simples, e sem muitos custos financeiros, promove verdadeiras aventuras de descoberta para os turistas que visitam os Açores.

Dessa feita, três caches tradicionais de Geocaching nomeadas “30 Reis”, “Caça à Baleia” e “Biodiversidade Marítima”, foram produzidas pelos alunos, com o apoio dos professores e colaboração de alguns pais ou encarregados de educação, e encontram-se no concelho de Lagoa, mais precisamente no lugar de “Trinta Reia” – Água D´Alto e Atalhada.

Durante a conferência, foi apresentado um filme de antestreia, filme esse que será divulgado na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), para promover o turismo nos Açores e demonstrar os locais onde existem “caches” na Região Autónoma.

geocahing e turismo Lagoa Açores 02

Segundo a autarca lagoense, Cristina Calisto Decq Mota, o turismo assume uma grande importância e destaque na economia mundial, sendo que este aumenta o consumo e a criação, nomeadamente de emprego.

No concelho de Lagoa, o turista poderá usufruir tanto do mar como da montanha, bem como de todas as atividades que estes dois sítios podem proporcionar. Assim sendo, a edil lagoense destacou várias atividades e condições favoráveis que a Lagoa possui para receber os seus turistas, nomeadamente: a Pousada da Juventude de Lagoa, o Hotel Caloura, espaços museológicos, o trilho pedestre da Rota de Água, zonas balneares, o Centro de Ciência Expolab e o Observatório Vulcanológico e Geotérmico dos Açores (OVGA).

De salientar que, em 2015, 23 alojamentos locais abriram na Lagoa e no ano de 2016 mais 19 alojamentos nasceram para acolher todos aqueles que queiram deslocar-se e pernoitar na cidade.

Todas essas condições e atividades são, na realidade, um verdadeiro chamariz turístico que fazem da Cidade de Lagoa um sítio acolhedor e dinâmico para os seus visitantes.

Por outro lado, a promoção dos diversos eventos, como é o caso do Festival Lagoa ComVida ou da Festa Branca no Convento dos Franciscanos, demonstra para a edil lagoense que a Lagoa é um pequeno território, mas com atividades dinâmicas e que todos os turistas têm bons motivos para visitarem este concelho.

De salientar que, atualmente, todas as Câmaras Municipais estão envolvidas no projeto de Geocaching, mas que a Câmara Municipal de Lagoa foi a primeira a aderir ao mesmo.

Para a representante da Câmara Municipal da Ribeira Grande, Sónia Moniz, é necessário criar elos de ligação entre os diversos concelhos dos Açores, de forma a atrair o turismo.

“Turismo é conhecimento, união e aproximação, num mundo de pequenos tesouros a descobrir”, frisou Sónia Moniz.

Assim sendo, o geocaching é uma ferramenta em prol da divulgação e que beneficia o desenvolvimento do turismo local.

No entanto, Sónia Moniz alerta para os perigos de um turismo de massa, demonstrando que os Açores são um lugar único no mundo, principalmente por não ter grandes fábricas, nem grandes resorts, mas sim por conservar ilhas naturais, com uma riqueza grandiosa, tanto a nível do solo como da água.

“Somos especiais porque não tivemos um desenvolvimento tão grande. Não divulguem muito os Açores, pois são uma pérola”, referiu a representante da Ribeira Grande, salientando que os Açores oferecem aos seus visitantes algo diferente, mais natural e acolhedor.

Por outro lado, Sónia Moniz relembrou que não devemos esquecer as raízes e a história de ligação entre o mar e o turismo.

A Cidade da Ribeira Grande oferece pequenos tesouros aos seus turistas, nomeadamente: museus, trilhos pedestres, uma vasta natureza, praias e as suas atividades, como é o caso do Campeonato de Surf ou da Festa das Flores, mas também destacam-se as fábricas de chá ou de licores.

Para o Delegado de Turismo de São Miguel, Filipe Frias, o Governo Regional dos Açores definiu vários sectores estratégicos para o desenvolvimento do arquipélago e nesse plano o turismo desempenha um papel fundamental.

Dessa feita, a preocupação levantada pela representante da Câmara Municipal da Ribeira Grande em proteger os Açores de um turismo devastador também foi tida em conta pelo Governo Regional, por ser um local “muito especial, muito pequeno e suscetível de ser afetado”.

“É importante manter aquilo que é nosso genuíno, ter cuidado em não estragar, porque se for afetado ficamos sem produto para oferecer”, salientou Filipe Frias.

O Delegado de Turismo de São Miguel reforçou ainda a ideia de que o turismo açoriano é um turismo de experiências e de emoções, onde os turistas procuram atividades locais, num sítio único no mundo.

Finalmente, foi demonstrada a ligação entre os trilhos pedestres e o geocaching, sendo que, atualmente, 80 trilhos estão homologados oficialmente nos Açores.

Desta feita, foi criado, em 2015, o GeoTour Ilha Verde, na ilha de São Miguel, visando estender-se a todas as ilhas dos Açores, com a criação do site GeoTour Azores, para divulgar todo o arquipélago açoriano através da aventura do Geocaching.

DL/AS

 

Categorias: Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*