“Lagoa de Flores” pretende florir todo o concelho de Lagoa

Florir Portugal Lagoa de flores To Romano Isabel Isidoro Cristina Calisto

O projeto Florir Portugal foi apresentado na primeira cidade açoriana a aderir ao mesmo. Assim sendo, o Convento dos Franciscanos, na Cidade de Lagoa, acolheu esta quinta-feira, dia 9 de fevereiro, a conferência “Lagoa de Flores”, proferida por Tó Romano da Eva Dream.

Este projeto pretende florir Portugal e desta feita florir o concelho de Lagoa, fazendo de Portugal o país mais florido do mundo.

Percorrendo o território nacional, as conferências pretendem desenvolver “ilhas de flores”, para que cada local em Portugal se transforme numa “bandeira de beleza, de afetos e bem-estar”.

Para Tó Romano, florir Portugal de Norte a Sul e ilhas é , na realidade, um sonho, uma utopia, sendo uma ideia “tão simples, mas que pode ter tentáculos tão grandes”.

“Vir aos Açores falar de flores, é como ir a Marrocos para tentar vender areia aos marroquinos”, exemplificou Tó Romano, demonstrando que, naturalmente, as nove ilhas açorianas já são floridas mas que, na realidade, esta conferência permite sensibilizar as pessoas e desafiá-las a realizar este sonho: florir Portugal inteiro, nas varandas, janelas, ruas e estradas.

Tó Romano acredita profundamente que florir Portugal é possível, da mesma forma que todos os portugueses colocaram a Bandeira Nacional nas janelas das suas casas para apoiar a Seleção Portuguesa de Futebol durante o Europeu de 2004. Agora, o objetivo é simplesmente o de florir esses mesmos sítios.

Este sonho começou há sete anos, quando Tó Romano imaginou o cenário de uma relação de afetos das pessoas para com as flores, permitindo-se criar, através de uma simples flor, uma onda de união e de paz entre os humanos.

Florir Portugal pretende sensibilizar as pessoas aos pequenos gestos que, de uma forma positiva, tudo podem transformar e isso também por vivermos numa sociedade em crise, não somente económica, mas também de afetos.

Por outro lado, Tó Romano destaca a capacidade de atração das flores, que poderiam desenvolver a economia portuguesa e principalmente atrair imensos turistas e, assim, melhorar todos os setores ligados ao turismo em Portugal.

“A magia que acontece em relação às flores iria fazer de Portugal o país mais turístico do mundo”, acredita Tó Romano.

Florir Portugal pretende ligar as pessoas à natureza e isso porque elas estão cada vez mais afastadas da mesma. Se o país se entregar às flores, pode ser um passo de ligação com a terra e os produtos de excelência produzidos em Portugal.

Tó Romano acredita profundamente que, se os produtos portugueses tivessem uma imagem associada, que neste caso seria o país das flores, todos os produtos produzidos no nosso país, sejam eles mel, azeite, lácteos, fruta ou legumes, etc, com esse vetor diferencial, poderiam ser vendidos no estrangeiro com grande ganho financeiro.

To Romano Florir Portugal lagoa

No que diz respeito à Cidade de Lagoa, e sendo a primeira cidade açoriana a aderir a este projeto, o objetivo principal será um efeito de contágio para com os outros concelhos de São Miguel até chegar às restantes ilhas.

Para Cristina Calisto Decq Mota, Presidente da Câmara Municipal de Lagoa, a esperança é que a Lagoa dê um bom contributo ao projeto, destacando que o mesmo não se poderá fazer apenas pela autarquia, mas com a colaboração de todos os lagoenses.

A autarquia comprometeu-se a florir os seus espaços, jardins, ruas e estradas e a promover uma Feira de Flores na Cidade de Lagoa, no mês de maio, sendo que também será organizado um concurso de varandas com a atribuição de um prémio.

Por outro lado, a Festa Branca que irá decorrer no Convento dos Franciscanos, no dia 19 de agosto, terá como tema principal as flores e várias ações de sensibilização irão decorrer nas escolas lagoenses, assim como serão realizados workshops de floricultura disponibilizados para todos os interessados.

Por seu turno, para a Diretora Regional dos Recursos Florestais, Anabela Isidoro, que esteve presente na conferência de apresentação do projeto, este sonho na realidade já existe aqui nos Açores, facultando toda a importância das flores e das árvores, nomeadamente com o Dia Mundial das Árvores ou com os vasos de plantas endémicas colocados no Aeroporto João Paulo II, em Ponta Delgada, que demonstram a identidade açoriana para quem visita os Açores.

O Governo Regional dos Açores acredita que este projeto vai “engrandecer a Lagoa” e para tal quer colaborar com a autarquia lagoense, oferecendo plantas endémicas para ajudar o concelho a florir-se.

Florir Portugal Lagoa Mandala simboliza arranque do projeto

Uma mandala de flores foi colocada na fonte central do jardim do Convento dos Franciscanos, de forma a simbolizar o inicio do projeto “Lagoa de Flores”.

DL/AS

Categorias: Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*