BE questiona Governo da República sobre radares meteorológicos nos Açores

Radar Meteorologico

O Grupo Parlamentar do BE na Assembleia da República quer saber se o Governo vai utilizar os equipamentos do radar da serra de Santa Bárbara, disponibilizados pelas autoridades norte-americanas, ou se vai proceder à instalação de um novo radar meteorológico no local. O requerimento enviado ao Governo da República pergunta ainda se vai avançar a instalação de novos radares em São Miguel e no Grupo Ocidental.

O único radar meterológico existente nos Açores – localizado na ilha Terceira e propriedade dos Estados Unidos da América – foi desativado há um ano atrás, tendo sido colocada a hipótese de a manutenção passar a ser realizada por Portugal. No entanto, o BE tem conhecimento de que têm sido retiradas peças da infraestrutura exterior do radar para, segundo consta, fornecer a outros radares norte-americanos situados noutros locais.

Caso se opte pela instalação de novos radares, o BE alerta para o facto de a verba inscrita no Orçamento de Estado para este ano, no valor de 200 mil euros, ser claramente insuficiente, quando o custo de instalação de um radar se situa entre 1,5 a 1,8 milhões de euros. O valor atribuído aos Açores chegará apenas para uma remodelação muito limitada no radar da Terceira, e para o estudo de impacto ambiental do local destinado à instalação de um novo radar em São Miguel.

O Bloco de Esquerda considera “fundamental garantir uma cobertura total em todas as ilhas, por radar meteorológico, a única tecnologia que permite a previsão, a curto prazo, para situações extremas, como sejam condições severas de vento e precipitação” e salienta que “a ausência de radares potencia a ocorrência de acidentes graves”.

O ideal seria a instalação de três radares, um cada grupo de ilhas, de acordo com os especialistas em climatologia, visto o raio de alcance destes equipamentos ser limitado. A cobertura total do arquipélago com radares meteorológicos, longe de ser considerada um desperdício de dinheiros públicos, representará um investimento estratégico, tanto para a região Autónoma dos Açores, como para a República, que também passará a usufruir de serviços de meteorologia com implicações científicas elevadas.

Os deputados do BE na Assembleia da República querem também que o Governo da República indique qual o tempo mínimo que levará todo o processo de adjudicação, instalação e funcionamento dos radares meteorológicos na Região Autónoma dos Açores.

DL/BE

Categorias: Política

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*