Poesia: Criando Amor

(c) Direitos Reservados

(c) Direitos Reservados

CRIANDO AMOR

1
Procurando mais uma rima
Por entre os versos intercalados
Há sempre alguém que lastima
Por momentos mal passados.

2
Outros bons momentos viveram
Chorando a saudade de então
Nas épocas antigas nasceram
Em tempos que já lá vão.

3
Naqueles tempos de pudor
Que ninguém pode esquecer
Ouve quem semeou amor
Para mais tarde colher.

4
Com muito amor e estima
Recordam os anos passados
Ao ver que se aproxima
O Dia dos Namorados.

5
Longos anos passados para traz
Já essa tradição via-se
Sabemos que o amor não se faz
Apenas o amor cria-se.

6
São Palavras com valor
Algumas dicas vos dou
Jesus nunca fez amor
Mas apenas o criou.

7
Pedindo eu ao Redentor
Que isso que digo se justifica
Não há fábricas de amor
O amor não se fabrica.

8
Quem for com mulher por dinheiro
Ou mesmo que vá por prazer
Vai trair o companheiro
Que raio de amor vai fazer.

9
Pode até não ter companheiro
Ou vice-versa chegamos ao topo
Se alguém faz sexo por dinheiro
Está a vender o seu corpo.

10
Sabem que o amor esfria-se
Por traição ou por maldade
Mas maior amor cria-se
Com carinho e amizade.

11
O amor não vem por esmola
Sempre vem por coisas boas
Já começa na escola
Em convívio com as pessoas.

12
Nossa mãe nosso esplendor
Nossa rainha-mãe querida
Com o filho nunca fez amor
E lhe ama para toda a vida.

13
Uma namorada ou namorado
Se enamoraram pela amizade
Depois de o amor criado
Já se amem de verdade.

14
Mas primeiro deve se criar
As coisas no lugar devem pôr
Para depois desfrutar
Os frutos daquele amor.

15
Homem que vai com uma criança
Para apenas se satisfazer
Vagabundo sem confiança
Que amor está a fazer?

16
A cada dia se renova
Os versos que este jornal traz
Deixando aqui a prova
Que o amor nunca se faz.

17
Entre amizade e o carinho
O respeito que é dado com ardor
Um abraço, um sorriso, um beijinho
É assim que se cria um lindo amor.

18
Criaram laços sem fim
Com alguns Santos de valor
Pelos namorados de São Valentim
Santo António pelo amor.

19
Amizade traz carinho com fulgor
Faz até sentir num bem-estar
Cria com carinho teu lindo amor
Para mais tarde o poder desfrutar.

20
Muitos já criaram seus amores
Tais amores sem ter fim
Por isso guardem flores
No Dia de São Valentim.

21
Termino aqui essa labuta
Nestes poemas com valor
Olhai aquele que desfruta
Dos frutos do seu amor.

Por: João Silvério Sousa
(Publicado na edição impressa de fevereiro de 2017)

Categorias: Poesia

Deixe um comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*