Projetos de preservação e propagação de espécies de flora são uma prioridade

Marta Guerreiro governo Açores sementes Pico

A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo destacou, no Pico, a importância da preservação da biodiversidade, salientando a prioridade que o Governo dos Açores atribui a projetos de preservação e propagação de espécies de flora.

Marta Guerreiro, que falava à margem de uma ação de plantação de três dezenas de plantas de Teixo, com vista à sua reintrodução em meio natural, salientou que esta espécie foi em tempos abundante nos Açores mas está atualmente considerada como “provavelmente extinta” no arquipélago, havendo apenas o registo de quatro indivíduos na ilha do Pico, devido à exploração para mobiliário de luxo e à transformação fundiária provocada pela generalização da pecuária.

A Direção Regional do Ambiente iniciou, em abril de 2013, através do Banco de Sementes dos Açores, um projeto de propagação do Teixo por estacaria, que passou pela recolha de material vegetativo dos últimos indivíduos que se conhecem, tendo sido possível reproduzir várias dezenas de plantas, algumas das quais serão agora reintroduzidas em meio natural.

Para além deste projeto específico relativo ao Teixo, destaca-se ainda o projeto desenvolvido pelo Centro de Biotecnologia dos Açores no âmbito da investigação conducente à produção de plantas da flora endémica por micropropagação, do qual resultaram dezenas de milhares de espécimes, posteriormente introduzidos em meio natural.

Marta Guerreiro destacou ainda o trabalho que tem sido feito pelo Banco de Sementes dos Açores no “desenvolvimento de protocolos de germinação de diversas espécies endémicas”, como é o caso da ‘Miosotis azorica’, que tem sido reintroduzida na ilha das Flores, assim como o facto de, no último quadriénio, “ter sido possível ampliar significativamente a capacidade do Banco de Sementes dos Açores, através do aumento da área de trabalho e da aquisição de novos equipamentos”.

O número de sementes e de espécies endémicas dos Açores conservadas neste Banco passaram de cerca de 500 mil sementes de 45 espécies em 2012, para cerca de oito milhões de sementes de 53 espécies em 2016.

Ainda este ano, o Banco de Sementes dos Açores verá as suas condições melhoradas, através da sua reinstalação num novo espaço.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*