“Ribeira Chã é a Freguesia mais pequena mas a mais dinâmica”

Açores-noticias-jornal-diario-Lagoa-Ribeira-Cha-freguesia-

2016 terminou e chegou a altura certa para se fazerem todas as retrospetivas e balanços.

Vitória Couto, presidente da Junta de Freguesia da Ribeira Chã, em declarações ao Jornal Diário da Lagoa, afirmou que, na sua freguesia, a mais pequena do concelho, “o balanço é muito positivo.” Segundo a edil, em 2016, muito se trabalhou, sendo que esse trabalho pautou-se sempre por uma grande união. “Trabalhámos com o executivo todo unido, com os trabalhadores da junta de freguesia a apoiarem-nos em tudo o que nós fazemos e com a população a aderir a todos os nossos eventos e a estarem presentes”, adiantou.

Se pudesse relevar um evento realizado em 2016, Vitória Couto destacaria, claramente, “a comemoração do quinquagésimo aniversário, uma vez que foi uma data importante para a freguesia”. Acrescente-se que, a mesma foi devidamente assinalada, sendo que “no dia 18 de maio tivemos uma sessão solene em que homenageámos todos os antigos presidentes de junta, o Centro Social e Paroquial da Ribeira Chã, o Padre José Caetano Flores e o Sr. Manuel Clemente”.

A presidente da Junta de Freguesia garante que “temos feito o possível para projetar a freguesia e elevar mais ainda o nome da freguesia da Ribeira Chã”.

vitoria-couto-freguesia-ribeira-cha-acores-jornal-diario-da-lagoa01

Se ficou alguma coisa por fazer em 2016? Sim.

“Em 2016, faltou dar início ao projeto do loteamento, que gostaríamos de ter iniciado em parceria com a Câmara Municipal de Lagoa, contudo, é garantia da Presidente da Autarquia da Lagoa que, já este mês de janeiro de 2017, o projeto vai-se iniciar. Projeto este que vai ter um grande impacto na freguesia, sendo que o seu objetivo é fixar jovens, pois esses mesmos jovens querem ficar, gostam da sua freguesia”, refere a jovem autarca.

Numa freguesia pequena, e seguindo a lógica, os entraves nunca serão colossais. E, pelas palavras de Vitória Couto, confirma-se esta tese: “este ano não encontrámos grandes entraves. Temos sempre um bom ambiente com os parceiros, com as instituições, com a Câmara Municipal de Lagoa. A nível económico, temos de gerir sempre bem o nosso orçamento, sendo que não podemos fazer tudo o que queremos, temos sempre de pensar no que é prioritário, sendo que a prioridade é ajudar as famílias e dar emprego, principalmente às pessoas da freguesia”.

Para 2017 os desafios continuam os mesmos: apoiar as famílias e continuar a ajudar em situações de habitações degradadas. Já a nível cultural, os projetos mantêm-se também os mesmos, com a realização do Festival da Malassada, da Noite de Fados e do São Martinho. E toda esta dinâmica é, de facto, notável, realçando, Vitória Couto, que “a nível cultural somos uma freguesia pequena, a mais pequena, mas, a meu ver, a mais dinâmica. Por ano, praticamente, fazemos quatro ou cinco festas que atraem cada vez mais pessoas para a freguesia”.

Também para este novo ano que agora chega, destaca-se, naturalmente, a realização daquilo que ficou por ser feito em 2016: o loteamento.

Por outro lado, 2017 é ano de eleições autárquicas e Vitória Couto não garante que se mantenha no cargo. A mesma admite que ainda não tem certeza acerca de uma possível recandidatura para a presidência da Junta de Freguesia da Ribeira Chã, argumentando mesmo que a carreira profissional que possui “não permite muito, infelizmente”, referiu.

Nesta entrevista ao Jornal Diário da Lagoa, Vitória Couto, deixou o desejo para todos, “muita saúde, que todas as famílias estejam unidas, em paz, e que em 2017 participem connosco, que votem, que estejam presentes nas nossas atividades e que nos continuem a dar força”, disse.

DL/JTO

Categorias: Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*