Cristina Calisto Decq Mota faz balanço do ano 2016 e confirma projetos da Câmara Municipal de Lagoa para 2017

Cristina Calisto Decq Mota entrevista Jornal Diario da Lagoa Açores

Cristina Calisto Decq Mota, Presidente da Câmara Municipal de Lagoa, em declarações ao Jornal Diário da Lagoa, faz um balanço positivo do ano de 2016, ano este “que começámos a implementar algumas medidas que, em 2015, foram desenhadas, repensadas e redefinidas”.

Desse modo, os serviços da Câmara Municipal de Lagoa, foram reorganizados e a edil lagoense apelou “às equipas uma atitude diferente” e a “apresentação de novas medidas em determinadas áreas”.

“O ano de 2015 foi determinante, pois estivemos todos a pensar sobre aquilo que devíamos fazer, para que em 2016, começássemos a mostrar os sinais desse caminho e principalmente a apresentar trabalho”, referiu a autarca, esperando assim que 2017 seja o “ano da consolidação”.

Para a edil, 2016 ficou marcado pela tónica dada aos aspetos culturais, no entanto, “a ação social e as famílias sempre foram e continuam a ser uma prioridade da Câmara Municipal de Lagoa”.

Assim sendo, o orçamento de 2015 e 2016 traduziu um investimento idêntico, “em que estivemos sempre ao lado das famílias, nos momentos mais difíceis”, reforça Cristina Calisto Decq Mota.

Porém, em 2016, houve uma novidade, o reforço da atenção nas políticas educativas e culturais, nomeadamente, “a grande ajuda que podemos dar para favorecer a vida das pessoas é o salto em termos culturais e educativos”.

A autarca esclarece que “a ação social resolve os problemas no momento, mas o que pode garantir uma mudança na vida das pessoas é a formação, a aposta na educação e na cultura. O grande salto foi precisamente a apresentação pela primeira vez de um plano educativo e cultural da Câmara Municipal de Lagoa, plano este que, logo no primeiro ano de execução, foi nomeado para um prémio a nível nacional”.

Para a Presidente da Câmara Municipal de Lagoa, faz todo o sentido apostar na educação, porque “este é que é o verdadeiro progresso, a verdadeira ajuda às famílias, pois mais formação permite mais condições na busca de um emprego e de um trabalho, possibilitando também que a comunidade corresponda a uma cidade desenvolvida, apostada nas novas tecnologias”.

Nas diversas declarações da líder do executivo camarário, a importância do Tecnoparque foi sempre salientada e “felizmente temos todos os lotes do Tecnoparque sinalizados com interessados”.

Lugar este onde as gerações mais novas podem encontrar o “seu futuro posto de trabalho” e nesse sentido, foi criado o “Lagoa Investe”, um documento que permite a comercialização destes espaços e que se foca em várias áreas fundamentais.

No entender da autarca, o orçamento para 2017 reforça o facto de “estarmos abertos a sugestões”, mas salienta que não podem ser as entidades públicas “a fazer tudo”.

“Não podem ser só as entidades públicas a defenderem o desenvolvimento e o progresso, cada um deve dar o seu contributo”, argumenta Cristina Calisto Decq Mota.

A Câmara Municipal de Lagoa concretizou alguns investimentos em 2016, nomeadamente a ampliação da Creche o Ninho no Cabouco, o melhoramento das condições do Campo Municipal João Gualberto Borges Arruda, faltando apenas a tribuna, que será um projeto a iniciar este ano.

“Completámos assim um ciclo de investimentos naquele campo municipal, dotando-o de melhores condições também para a prática desportiva, sobretudo das camadas jovens, onde melhorámos todos os aspetos da atividade que envolve as camadas infantis, precisamente porque também queremos uma Lagoa saudável. Por isso, estamos também na rede de cidades saudáveis com uma série de medidas de atividade de índole desportiva e de saúde, promovendo também mais qualidade de vida a todos nós que aqui vivemos”, afirmou a edil.

Cristina Calisto Decq Mota está ciente que faltou fazer muitas coisas em 2016 e principalmente por não terem conseguido candidatar os projetos aos fundos comunitários, por não estarem os avisos abertos. Esse fator criou um atraso “naquilo que são algumas das obras que defendíamos para a Lagoa”.

Assim sendo, o reordenamento da orla costeira e a questão da Baía de Santa Cruz, serão assuntos para resolver até ao final do ano, sendo que “temos um projeto que nos vai ser apresentado para potenciar, tal como aconteceu no Tecnoparque, a fim de podermos vender este espaço e atrair investidores para a Baía de Santa Cruz”.

Outro projeto futuro, será o melhoramento do Polidesportivo de Água de Pau e do Polidesportivo de Santa Cruz porque “temos de criar um pavilhão de treinos aqui na Lagoa”.

A obra do Mercado Municipal, cujo projeto já foi apresentando em agosto de 2016, também será iniciada em 2017.

Estão previstos, no orçamento 2017 da Câmara Municipal de Lagoa, a melhoria nos acessos à zona industrial do Cabouco e da Chã do Rego de Água.

A candidatura às Smart City´s e a modernização administrativa, juntamente com o Centro de Interpretação da Cerâmica, também são promessas da autarquia para este ano.

No que diz respeito ao Convento dos Franciscanos, “já melhorámos tudo o que havia para melhorar lá dentro”, agora será renovado o exterior do jardim, nomeadamente com mais iluminação e do ponto de vista do arranjo paisagístico, “também falta dar um toque inovador”.

A nível desportivo, o melhoramento do Polidesportivo do Cabouco e o campo do Santiago Futebol Clube, também fazem parte do orçamento para este ano.

Por outro lado, o CineTeatro de Água de Pau, em 2017 não ficará pronto, mas nos próximos anos “pretendemos abrir as portas daquele edifício e devolvê-lo à comunidade”.

A Praça de Nossa Senhora do Rosário, também faz parte dos projetos a melhorar pela autarquia, nomeadamente no que diz respeito à iluminação da mesma.

Criar melhores condições para os Escoteiros de Santa Cruz e entregar e dar a conhecer o terceiro volume da obra de Carreira da Costa, da Etimologia dos Açores, são ambições apresentadas pela edil lagoense.

Junto do Governo Regional, Cristina Calisto Decq Mota, reforça a ideia de que “temos de insistir junto do Governo para a apresentação do projeto das melhorias do porto de pesca do Porto dos Carneiros”, mas também das obras na escola do ‘Ficher’ e do arranque dos novos edifícios do Parque de Ciência e Tecnologia de São Miguel- Nonagon, na zona do Tecnoparque.

Depende também do apoio do Governo Regional dos Açores, de ter as condições necessárias para começar a obra do lar residencial, que é um projeto da Santa Casa da Misericórdia e que é destinado a pessoas com deficiência e finalmente ver se em 2017, “temos oportunidade de abrir as portas da Creche de Água de Pau”.

O ano de 2017, será sem dúvida um ano de grande importância politica, nomeadamente com as eleições autárquicas. Para Cristina Calisto Decq Mota, a sua candidatura ainda não está definida, mas seja quem for, a verdade é que, hoje em dia, “o quadro legal de competências das câmaras municipais é tão exigente, o enquadramento financeiro municipal é de tal ordem exigente que não dá para fazer o impossível. Seja quem for, vai ter de se deparar com o enorme desafio que é o de se fazer muito com pouco”, referiu ao Jornal Diário da Lagoa, a Presidente da Câmara Municipal de Lagoa.

DL/AS

Categorias: Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*