PPM insatisfeito com os resultados do PISA 2015 relativos ao Arquipélago dos Açores

40 anos autonomia Açores Paulo estevão PPM_Jornal Diario da Lagoa1

O PISA (Programme for International Student Assessment), testa os conhecimentos dos alunos de 15 anos, em matemática, leitura e ciências e as suas competências para mobilizar esses conhecimentos para a resolução de problemas no quotidiano, desde 2000. 

Segundo um comunicado do PPM (Partido Popular Monárquico), os dados que o PISA nos disponibiliza são fundamentais “para o desenvolvimento de políticas e de práticas que concorram para a melhoria dos currículos e dos sistemas educativos dos participantes de todo o mundo”. 

Em 2015, e pela primeira vez, Portugal obteve resultados estatisticamente superiores aos da média da OCDE em ciências e em leitura, sendo que os Açores continuam “a afundar-se em termos de resultados”. Segundo o dito comunicado, registaram-se pontuações significativamente abaixo da média nacional e da OCDE em todos os domínios analisados: ciências, leitura e matemática.

Como contribuintes para este cenários gravoso, o PPM aponta em primeiro lugar que “o recrutamento de professores regional é o principal cancro do sistema”, referindo que as “regras concursais impedem o recrutamento de docentes com mais tempo de serviço, experiência e médias académicas mais elevadas”.

Em segundo lugar, o atraso “prende-se com a inexistência de um sistema de formação docente que atualize praticas e renove competências” e relativamente à terceira razão o Partido Popular Monárquico destaca “o enorme impacto das bolsas de pobreza no âmbito dos resultados escolares”. 

Finalmente, Paulo Estêvão, deputado do PPM, critica a “fraquíssima valorização da Escola na nossa sociedade”, argumentando que é “necessário criar politicas educativas e implementar estratégias de intervenção social”. 

O PPM agendou uma sessão de perguntas orais ao Governo Regional sobre o mesmo assunto, que decorrerá no Plenário de janeiro da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores. 

DL/PPM

Categorias: Política

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*