São muitos os desafios que se colocam ao setor agrícola na região

jorge-rita-joao-ponte-1reuniao

O Presidente da Associação Agrícola de São Miguel, Jorge Rita, reuniu-se esta quarta-feira, dia 10 de novembro, na sede da Associação Agrícola, em Rabo de Peixe, na Ribeira Grande, com o Secretário Regional da Agricultura e Florestas, João Ponte.

O encontro permitiu fazer uma “radiografia do setor neste momento”, apesar de todos os assuntos não terem sido abordados porque “a agricultura tem muitos dossiers e também muitos problemas”, afirmou Jorge Rita.

Desta feita, foram traçados alguns dos quadros, “que são aqueles que nos preocupam mais”, nomeadamente no que diz respeito ao rendimento dos agricultores e dos produtores de leite.

O Presidente da Associação Agrícola relembrou que a situação é difícil e que o Secretário “tem aqui muitos desafios pela frente, em relação a este setor que, para nós, é só o mais importante da economia da Região Autónoma dos Açores”.

Consequentemente, será necessário muito empenho de todos, “quer do próprio Governo, quer das organizações e dos produtores”, para ultrapassar esta crise no setor da agricultura.

Apesar de já se notarem alguns sinais positivos nos mercados internacionais, no que diz respeito ao leite, que favorece a “autoestima, esperança e confiança” dos lavradores, sendo que a verdadeira esperança, é que esta subida dos mercados internacionais também se manifeste na Região Autónoma dos Açores.

Segundo Jorge Rita, o desafio imediato que o Secretario Regional da Agricultura e Florestas tem que ter em mente, é o pagamento de alguns produtores. É “importante que haja verbas alocadas aos projetos de investimento para que se continue a modernizar e aproveitar os quadros monetários de apoio”.

Por outro lado, Jorge Rita insistiu na ideia de criar um lobby em Bruxelas, sendo essas ajudas “fundamentais”, pois todo o trabalho que foi feito em Bruxelas, “será replicado positivamente ou negativamente na Região Autónoma dos Açores conforme o desempenho de todos ”.

“O Governo Central, no nosso entender, não tem demonstrado a verdadeira solidariedade na Agricultura com a Região Autónoma dos Açores”, criticou ainda Jorge Rita.

Segundo o Presidente da Associação Agrícola, “tem que haver uma maior articulação entre a República e a Região, em matérias da agricultura para que depois também o rendimento dos agricultores por essa via” seja melhorado.

Finalmente, Jorge Rita reforçou a ideia de futuramente existir um projeto de “ajuda regional, adicional”, de forma a que os lavradores se possam candidatar, para a eletrificação das explorações agrícolas.

No que diz respeito à exploração mais competitiva para a carne, segundo Jorge Rita “quanto mais homogénia for a carne melhor se vende no mercado” sendo que a “valorização da carne com a melhoria dos nossos matadores e infraestruturas, é indispensável”.

Para o Secretario Regional da Agricultura e Florestas, este encontro permitiu “perceber quais são as grandes preocupações do sector e aquilo que é importante tomar em termos das decisões nos próximos tempos”.

João Ponte salientou ser a “primeira de muitas reuniões” pois esta “é a forma que o Governo quer trabalhar, perto das organizações, perto de todos aqueles que de alguma forma conseguem contribuir para o desenvolvimento de um sector muito importante”.

Por outro lado, o governante referiu que o Governo Regional “tomou medidas importantes para ajudar o sector”, ficando esperançado que nos próximos tempos “possa haver um ajusto nos preços do leite”. Fator este que seria importante “para dar confiança ao setor e também para os próprios lavradores verem, de alguma forma, o seu esforço recompensado”.

João Ponte, em declarações aos jornalistas, salientou ainda que há condições para “a industria, nos próximos tempos, fazer um ajusto no preço do leite”.

Fica assim a promessa do Secretário Regional da Agricultura e Florestas, em melhorar as condições “para que os lavradores e agricultores possam melhorar as suas produções e por via disso possam melhorar o seu rendimento”.

DL/AS

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*