Poesia: A consciência da mente

Joao Silverio sousa poesia-Jornal-Diario-da-Lagoa

Meditando na sua própria consciência
Mesmo antes de nada ter escrito
Sente uma força,uma presciência
Entre sua Alma e seu Espírito.

Entre ambos continua a meditar
Com fé Divina que lhe acresce
De pronto decide perguntar
Qual de vos os dois que me fortalece.

Responde o Espírito tem calma
Não nos ofereças resistência
Nem o Espírito nem a Alma
É a tua própria consciência.

Essa Consciência persistente
Em que lugar então medito ?
Responde a Alma entre a mente
Entre a Alma e o Espírito.

Então o homem convencido
Julgava eu ser pequenino
Sei que tenho o quinto sentido
Pois o sexto é Divino.

Então a Alma e o Espírito sorri
E disseram tu não és pequenino
Porque tudo o que há em ti
Há sempre um gesto Divino.

De pronto o homem se ajoelhou
E a Deus prestou Reverência
Porque Deus bem o dotou
Com uma grande inteligência
E lhe fez pensar e pensou
Na força da consciência.

Autor: João Silvério Sousa

Categorias: Poesia

Deixe um comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*