População do Faial em manifestação em frente à sede do Parlamento Regional

manifestacao-faial-sata-alraa1

Mais de três centenas de pessoas manifestaram-se esta quarta-feira, em frente à sede da Assembleia Legislativa Regional dos Açores com o objetivo de entregar uma carta aos vários grupos parlamentares, assim como ao Governo regional, onde defendem “mais e melhores acessibilidades áreas ao Faial”.

Na missiva é referido que se têm verificado “problemas e constrangimentos” na operação da Azores Airlines no Aeroporto da Horta, “sobretudo durante a chamada época alta”. Ou seja, “cancelamentos, divergências e atrasos de voos”. Segundo este grupo de cidadãos, “a maior parte dos problemas verificados tem a sua origem ou em problemas meteorológicos relacionados com a visibilidade na aproximação à pista do Aeroporto da Horta e/ou com as penalizações da operação, resultantes das dimensões daquela pista”.

Os signatários pretendem a “implementação, com a máxima urgência, no Aeroporto da Horta do RISE [um sistema de navegação que melhora a aproximação das aeronaves à pista] e que os aviões da Azores Airlines sejam equipados com o nível de equipamento que possibilite a aproximação com mais baixa visibilidade”.

Além disso, solicitam que “o próximo Governo Regional dos Açores [eleições são a 16 de outubro] assuma a liderança e a participação financeira em todas as parcerias necessárias que visem a ampliação da pista do Aeroporto da Horta” e que “a SATA garanta, especialmente entre maio e setembro, a operação do número suficiente de aeronaves que permita aumentar o número de voos de modo a satisfazer as necessidades de tráfego das rotas que detém em exclusivo sem permanentes ameaças de problemas e de atrasos, com uma frequência mínima de 14 toques semanais durante este período”.

DL

Categorias: Regional

Comentários

  1. Dário Santos
    Dário Santos 8 Setembro, 2016, 12:47

    Eram cerca de 400.
    A foto que se encontra na notícia foi no inicio da manifestação antes de a termos fechado.

    Reply this comment

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*