Beneficiação de infraestruturas abrange mais 45 explorações da zona central de S. Miguel

Nto Viveiros infraestruturas pecuarias obras São Miguel

O Secretário Regional da Agricultura e Ambiente afirmou que “faz todo o sentido” concentrar um conjunto de esforços e de investimentos na beneficiação de infraestruturas de apoio à atividade agrícola no Perímetro de Ordenamento Agrário (POA) da Zona Central da Ilha de S. Miguel, salientando que é “uma das mais importantes de toda a Região”.

Luís Neto Viveiros, que falava à margem da apresentação da infraestruturação da zona do Marquês, frisou que esse investimento ainda é mais importante nesta “fase desafiante e difícil que a produção de leite atravessa”, pois contribui “de uma forma muito significativa” para a redução dos custos de produção.

O titular da pasta da Agricultura visitou também nesta sexta-feira os caminhos agrícolas que vão ser intervencionados na zona de união dos antigos POA de Vila Franca e de Fenais da Ajuda, que atualmente formam o POA da Zona Central da Ilha de S. Miguel, num investimento global e cerca de 700 mil euros.

Na primeira fase, a beneficiação vai incidir numa extensão de cerca de 2.860 metros de caminhos e, na segunda fase, em mais 1.870 metros de caminhos, beneficiando 45 explorações agrícolas, numa área de 300 hectares servidos de água distribuída pelo Complexo das Contendas.

O Secretário Regional, que registou a união de esforços das várias entidades envolvidas e o empenho dos produtores presentes nesta apresentação, facilitando o acesso às suas propriedades para a execução das obras, visitou também três caminhos agrícolas já intervencionados.

As obras executadas e concluídas, através da IROA, nos caminhos agrícolas da Mina, na Matriz, do Moio, na Lomba de São Pedro, e do João Nateiro, na Maia, todos no concelho da Ribeira Grande, correspondem a um investimento inscrito na Carta Regional de Obras Públicas de cerca de meio milhão de euros.

Segundo Neto Viveiros, estas empreitadas inserem-se na “política do Governo dos Açores relativamente à infraestruturação do espaço rural” para abastecimento de água, eletrificação e acessibilidades, reafirmando, contudo, que “este é um trabalho que não chegou ao seu fim, é mais um passo importante”.

Nos perímetros de ordenamento agrário, sob gestão da IROA e que agregam os terrenos com maior aptidão agrícola em cada ilha, foram lançadas 61 empreitadas no decorrer da atual legislatura.

DL/Gas

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*