Mais duas famílias carenciadas, de Água de Pau, terão habitação

Loteamento Paul Agua de Pau novas habitações sociais

Duas novas habitações, destinadas à área social, estão em fase de conclusão no loteamento do Paúl, em Água de Pau, e que deverão estar concluídas até final deste ano de 2016, dando abrigo a duas famílias desta vila do Concelho de Lagoa.

Falando à margem duma visita às obras, Carlos Faias, Diretor Regional das Obras públicas, adiantou que as duas habitações, fazem parte de um conjunto de dez, sendo que seis já estão concluídas.

As duas habitações, num investimento regional que ronda os cerca de 160 mil euros, são dirigidas a situações de grave carência habitacional e cujas famílias já se encontram sinalizadas.

Carlos Faias recorda que o executivo regional tem colaborado com a autarquia lagoense, no sentido de resolver problemas habitacionais do concelho.

O governante recordou o balanço, recentemente feito pelo Presidente do Governo Regional, em que foram investidos, nos últimos quatro anos, cerca de 60 milhões de euros, que permitiram melhorar as condições habitacionais de quase 4500 famílias, uma valor de investimento muito significativo.

Carlos Faias, recorda que a opção tem sido de requalificar e reabilitar o parque habitacional existente e os loteamentos existentes, como a par deste investimento, tem havido um grande investimento no programa “Famílias com Futuro”, no que diz respeito à vertente do incentivo ao arrendamento.

Nesta vertente são cerca de 1400 famílias que são apoiadas, num investimento mensal de cerca de 200 mil euros, um investimento grande, mas que se não fosse pela via do arrendamento, não seria possível dar resposta a tantas famílias.

O Diretor Regional destaque o pioneirismo deste programa, em que qualquer pessoa se pode candidatar, no sentido de permitir atenuar as assimetrias que possam existir.

No caso concreto, destas oito habitações no loteamento do Paúl, em Água de Pau, o investimento global ronda os 800 mil euros, sendo que falta ainda construir mais dois lotes, seguindo a metodologia de lançar procedimentos por ajuste direto.

Carlos Faias adianta que, com esta metodologia, as empresas regionais podem concorrer, e por esta via poder garantir a sustentabilidade das próprias empresas, por conseguinte da mão de obra, e contribuir assim para o crescimento do emprego na região.

DL

Categorias: Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*