Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia com taxa de aprovação de projetos H2020 quatro vezes superior à média europeia

Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia com taxa de aprovação de projetos H2020 quatro vezes superior à média europeia

O Governo dos Açores, através do Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia, foi esta segunda-feira, dia 27 de junho, formalmente notificado pela Comissão Europeia da aprovação do projeto ‘GEOTHERMICA’, que se integra na tipologia ‘ERA-NET Cofund actions’ do Programa-Quadro para a Investigação e Inovação da União Europeia, denominado Horizonte 2020.

Segundo o executivo regional, o projeto, com uma duração de quatro anos, tem uma dotação global de cerca de 11 milhões de euros, ficando o Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia (FRCT) responsável por disponibilizar 130 mil euros para equipas do Sistema Científico e Tecnológico dos Açores que integrem consórcios internacionais em convocatórias que serão posteriormente lançadas a nível europeu.

O Presidente do FRCT destacou “a oportunidade que este consórcio representa para o cofinanciamento de projetos de investigação e inovação nos Açores, alavancando os fundos disponíveis para ciência e tecnologia”.

Segundo Nelson Simões, com a aprovação deste projeto, o FRCT ultrapassa, em meados de 2016, os objetivos estratégicos que tinham sido traçados até dezembro de 2020, contando com três projetos aprovados num total de nove candidaturas.

“Tendo em conta que a taxa média de aprovação dos projetos do Horizonte 2020 é de cerca de 7% a nível europeu, o FRCT atingiu uma taxa de aprovação de 30%, ou seja, cerca de quatro vezes superior à média europeia”, frisou.

Nelson Simões lançou, por isso, um desafio à equipa de projetos do FRCT para que “duplique o número de projetos aprovados até 2020” com o objetivo de “fazer reverter o trabalho deste organismo em mais-valias para a ciência e tecnologia e para a projeção internacional dos Açores”.

Nas próximas semanas, o FRCT dará início aos procedimentos legais com vista à assinatura do contrato de financiamento com a Comissão Europeia, sendo expectável que os trabalhos do consórcio tenham início até ao final deste ano.

O consórcio, que integra 16 parceiros de uma dezena de países europeus e três países com Acordos de Associação, pretende estabelecer sinergias de financiamento na área da energia geotérmica, através da união de fundos nacionais e europeus para investigação e desenvolvimento.

DL/Gacs

Categorias: Regional, Tecnologia

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*