“Onde Conversar” no restaurante “A Traineira” com Fausto Brito e Abreu

Onde Conversar_Telmo Ferreira_restaurante Traineira_Fausto Brito Abreu_Jornal Diario da Lagoa1

No dia em que a comunidade piscatória lagoense celebrou o seu padroeiro São Pedro Gonçalves Telmo, o programa da Rádio Lagoa “Onde Conversar” esteve no restaurante mítico lagoense, A Traineira, com o seu proprietário Paulo Juromito, bem como com o Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, Fausto Brito e Abreu.

O mar, o peixe, o marisco, o restaurante e os Açores foram os temas desta conversa.

A Traineira possui já mais de 20 anos, contudo, tem agora uma nova imagem, “mas nunca esquecendo a sua história, aquilo pelo que é conhecida, o seu ar rústico, a pesca, o mar”, disse-nos Paulo Juromito, que reforçou esta ligação, uma das razões das visitas dos seus clientes, o peixe e o marisco frescos.

Segundo recordou, “infelizmente “A Traineira” teve uma tempestade forte, e quando assumimos este espaço, o desafio foi relançar o restaurante no mercado e está à vista o nosso trabalho. Trabalho este que agora é também analisado pelos muitos turistas que nos visitam”, referiu Paulo Juromito.

Fausto Brito e Abreu é um apreciador do peixe açoriano, elogiando neste início os peixes frescos expostos no restaurante para consumo. À pergunta sobre as potencialidades do mar e se as estamos a utilizar corretamente, o secretário regional reforçou a ideia que “é uma estratégia europeia de tentar cada vez mais ter atividades económicas, empresas ligadas ao mar e os Açores não escapam a isto (…) Os Açores são a região mais marítima da Europa, tem obrigação de fazer ainda mais e procurar novas áreas”.

O governante mencionou que algumas” áreas poderão ter grande potencial na nossa região, como a aquacultura, mas diz que precisamos de conhecer o mar, proteger os ecossistemas mais sensíveis e só depois devemos partir para as atividades económicas. É por aí que surge uma das suas parcerias com a China, que tem imenso conhecimento. Por isso, “numa região como os Açores faz todo o sentido juntar o mar, ciência e a tecnologia”.

Onde Conversar_Telmo Ferreira_restaurante Traineira_Fausto Brito Abreu_Jornal Diario da Lagoa

O fluxo turístico que os Açores assistem atualmente fez-se sentir de imediato n’A Traineira que recebeu clientes logo do primeiro voo lowcost e “têm-nos visitado diariamente, o ano todo. Obviamente a Lagoa necessita de mais algumas infraestruturas, todos nós sabemos! Aqueles que já vêm, nós temos a responsabilidade de servir cada vez melhor e dar a conhecer o que é o mar açoriano, a tradição da restauração açoriana, portanto, o peixe fresco, o marisco, o bife à regional, alguns petiscos, mas efetivamente vêm à Traineira porque gostam do peixe fresco que é servido na traineira que vem à mesa”, disse-nos Paulo Juromito.

Ainda segundo o empresário, “sendo a Lagoa um meio mais pequeno os seus empresários deviam-se juntar cada vez mais e verem todos, em conjunto, o que seria melhor não só para a restauração lagoense, mas também para as outras áreas de negócio, para trazer mais gente”.

A nível turístico, Fausto Brito e Abreu refere que “um produto turístico que está um pouco sub-desenvolvido e que tem grande potencial de crescimento na região é a chamada Pesca Turísmo (…) um turista poder embarcar numa embarcação de pesca profissional, típica açoriana, que vai para o mar fazer a sua safra normal, é um produto turístico super genuíno”, um perfeito exemplo de como “o turismo e o mar podem estar intimamente ligados”, respondeu, acrescentando que “vamos conseguir salvaguardar um dos nossos principais patrimónios, a nossa paisagem costeira”.

O responsável pela pasta do Mar, Ciência e Tecnologia referiu que conhece a comunidade piscatória lagoense, “uma comunidade bastante vibrante, com uma frota muito diversa, uma pesca polivalente. Estão encaixados entre Ponta Delgada e Vila Franca, que são dois portos de pesca maiores, mas com aspirações muito próprias e desejo de investir mais”.

Mesmo a finalizar, questionámos os dois convidados sobre as suas preferências em relação aos sabores do mar. Paulo Juromito realçou a sua predileção sobre a açorda que A Traineira confeciona. O Secretárigosta de quase todos os peixes, adora chicharros e quanto mais pequenos melhor, gosta muito de polvo, imenso de lapas, abrótea e de todo o peixe fresco açoriano “com muito gosto”.

“A Traineira vai continuar a ter diariamente peixe fresco, marisco fresco, bom serviço e boa cozinha e agora com a certificação da marca Açores mais responsabilidade vamos ter!”, rematou Paulo Juromito.

DL/TF

Categorias: Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*