Freguesia da Ribeira Chã trabalha o futuro “não esquecendo o passado”

8ded60ce-2d37-40d9-afdd-afd9e9dabd72

No âmbito da celebração comemorativa do quinquagésimo aniversario da elevação da Ribeira Chã a Freguesia, assinalado esta quarta-feira, dia 18 de maio, o Centro de Catequese e Cultura na Ribeira Chã, recebeu a sessão solene com a entoação dos hinos dos Açores, Lagoa e Ribeira Chã, pelo Grupo Coral da Freguesia.

Várias entidades receberam uma distinção honorifica, nomeadamente os antigos Presidentes de junta, José Lourenço, Eduardo Bento, João Galego, Germano Couto e Albertina Oliveira. Receberam ainda, um voto de louvor, Manuel Clemente de Almeida e o Centro Social e Paroquial da Ribeira Chã. Sendo que Pe. João Caetano Flores, foi homenageado como cidadão honorário.

Para a Presidente da Junta de Freguesia da Ribeira Chã, Vitória Couto, este momento é muito importante, sendo o “culminar de vários anos de trabalho, dedicado às pessoas da Freguesia, com um enorme trabalho deixado pelo Pe. João Caetano Flores, pelos ex-Presidentes de Junta, por todas as instituições que fazem parte da Freguesia da Ribeira Chã, que se hoje estamos aqui foi devido a essas personalidades, essas instituições fazem da Freguesia da Ribeira Chã aquilo que ela é hoje”.

Por seu lado, o Pe. João Caetano Flores legou a cultura ao povo da Ribeira Chã, povo “trabalhador e honesto, que sabe participar nos eventos e gosta de cultura”.

Segundo Vitória Couto, a Freguesia da Ribeira Chã, apesar de alguns jovens terem saído da mesma, é uma Freguesia que tem “grande projeção para o futuro”, sendo que um loteamento para jovens casais será investido em parceria com a Câmara Municipal de Lagoa.

Consequentemente, o objetivo da Freguesia será de fixar os jovens, em prol do crescimento da mesma, assim sendo a Ribeira Chã irá investir em atividades culturais, divulgar e trazer novos eventos, cursos de formação e novas tecnologias.

No entanto, essas inovações serão feitas mas sempre mantendo viva a tradição, “trabalhar o futuro não esquecendo o passado”.

A Presidente da Freguesia da Ribeira Chã, em declarações ao Diário da Lagoa, salientou que a Freguesia é acolhedora e sabe receber os seus turistas. “Os turistas vêm cá nos visitar porque temos um trilho pedestre, temos casas rurais e as pessoas gostam do silêncio da Freguesia, da paisagem lindíssima que nós temos para sentir a natureza e estar em contato com a natureza e assistir a alguns eventos como é o caso do Festival das Malassadas ou da Noite de Fados”, referiu Vitória Couto.

Para Albertina Oliveira, ex-Presidente da Junta de Freguesia da Ribeira Chã e atual Presidente da Assembleia Municipal de Lagoa, com o desenvolvimento e progresso da freguesia, a Ribeira Chã “tornou-se uma Freguesia visível e respeitada”. Sendo que o número de habitantes representa um “fator de coesão” numa Freguesia moderna e onde o “progresso é evidente”. “Freguesia pequena em dimensão e imensa em valor”, exclamou.

Finalmente, na exposição fotográfica, “50 anos, 50 fotos”, a dificuldade foi realmente escolher apenas 50 fotografias, “escolhemos as fotos mais emblemáticas da Freguesia, foi um pouco difícil porque foram vários os momentos que a Freguesia teve na sua história, com várias festividades, várias inaugurações”.

DL/AS

Categorias: Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*